Não é nenhuma novidade que a Uber quer diversificar suas atividades para além dos carros. Por terra, a companhia quer usar bicicletas e patinetes elétricos, como já falamos há alguns dias. Mas a empresa quer ir além, ocupando também os ares, com helicópteros — e o Brasil está entre os candidatos para receber os testes do serviço nos próximos cinco anos.

• Uber apresenta primeiro protótipo de seu táxi aéreo, que pode chegar em 2020
• Testei o novo Pool Express, do Uber, e prefiro continuar com o ônibus

A Uber dá o nome de Uber Air ao serviço de “veículos elétricos baseado em decolagem e aterrissagem vertical (VTOL)” — favor não confundir com o Ubercopter, que funcionou no Brasil por um mêsA empresa já havia confirmado Dallas e Los Angeles como primeiras cidades a receber os testes, durante o 2º Encontro Anual do Uber Elevate, ocorrido em maio. Agora, a empresa procura uma terceira cidade, fora do país.

São cinco países entre os candidatos: Brasil, Japão, Índia, Austrália e França. Por aqui, São Paulo e Rio de Janeiro são as potenciais cidades para receber os testes. Segundo a empresa, alguns dos motivos são a proximidade com a principal operação da Embraer, o uso dos serviços já oferecidos pela Uber e as grandes frotas de helicópteros já existentes nas duas cidades, que mostram que existe demanda por um serviço do tipo.

Conceito de VTOL elétrico da Embraer. Créditos: Uber

O Uber Air faz parte do Uber Elevate, série de parcerias da empresa de transportes com fabricantes de aeronaves, como Embraer, Bell e Aurora (esta última uma subsidiária da Boeing) para desenvolver veículos tripulados elétricos. O plano é realizar testes em 2020 e fazer viagens comerciais até 2023.

Além de transportar passageiros pelo ar, a empresa também quer levar seu almoço voando. Por isso, está trabalhando com autoridades americanas de aviação e com a prefeitura de San Diego, na Califórnia, para testar o uso de drones para fazer entregas do Uber Eats.