Se você quiser ter a forma física de um atleta olímpico, será preciso dedicar uma vida inteira ao treinamento de um esporte. E comer muita carne e castanha no café da manhã. E quando nós falamos carne, queremos dizer carne de verdade – daquela que você não encontra facilmente em açougues ou mercados tradicionais.

• Um breve histórico do doping, e como cada substância ajuda os atletas a trapacear
• Soylent, a “comida do futuro”, agora pode substituir sua dose de café pela manhã

A programação de uma semana de um café da manhã ideal para um atleta foi publicada no site Strength Sensei e detalha o que um preparador físico consideraria o que seria uma refeição saudável. A lista inclui um ou dois bifes de carne de búfalo com um punhado de nozes de macadâmia num dia, um grande bife de carne de cervo e castanha de caju em outro, e oito ou dez linguiças de frango sem glúten em outro.

É carne o suficiente para você se tornar pura proteína.

Mas há um motivo por trás dessas recomendações. Tudo foi explicado por Charles R. Poliquin, preparador físico que trabalhou com diversos profissionais e atletas olímpicos, como Adam Nelson – que tem o maior número de medalhas na história da modalidade de arremesso de peso, de acordo com o site Bodybuilding.com.

Segundo Poliquin, a dieta é ótima para manter a “magreza ideal, a energia, além de sustentar a concentração mental” na hora dos treinos. Um café da manhã que inicia o dia com alimentos que ajudam nesses objetivos são uma boa ideia para atletas de alta performance. Ele escreve:

“A carne e as castanhas no café da manhã aumentam os níveis de dopamina e acetilcolina, os dois neurotransmissores mais importantes para o foco e energia.

A carne faz com que os níveis de açúcar no sangue subam devagar e de forma estável. As castanhas fornecem uma fonte saudável de gorduras, permitindo que o açúcar no sangue se mantenha estável por um bom período de tempo.”

Depois do café da manhã, ele recomenda uma colher de chá de óleo de peixe para reduzir os riscos de inflamação no corpo, e para reduzir a resposta da insulina.

Para quem não tem acesso a esse tipo de carne, Poliquin sugere ovos e peixes, como salmão defumado. O ovo é um dos seus alimentos preferidos, como detalha esta outra publicação, onde ele afirma que isso previne doenças cardíacas e melhora a sensibilidade à insulina (resistência à insulina pode causar aumento nos níveis de açúcar no sangue).

Faz sentido. Para treinar, você precisa gastar muita energia. A carne e as castanhas fornecem proteína mas também possuem muitas calorias, além das razões comentadas acima.

Poliquin também faz sugestões para aqueles que são alérgicos a castanhas. Nesses casos, é interessante incluir frutas com baixos níveis de glicemia e de frutose, como abacate, damasco e toranja.

Mas se você não quer se tornar o Michael Phelps, provavelmente seja melhor manter um café da manhã equilibrado entre proteínas, carboidratos e gorduras. As refeições dos atletas têm muitas calorias que dão energia o suficiente para os treinamentos – essa é uma das coisas a se levar em consideração na hora de pensar numa dieta.

[Strength Sensei via Independent]