O cantor americano R. Kelly foi condenado a 30 anos de prisão em uma audiência nesta quarta-feira (29) em Nova York, nos Estados Unidos. A condenação acontece quase um ano após o cantor ser declarado culpado por chefiar, durante décadas, uma rede de tráfico humano e abusos sexuais.

O artista está na cadeia desde julho de 2019, onde aguardava julgamento. Segundo informações divulgadas pela agência de notícia Reuters, a juíza distrital dos EUA, Ann Donnelly, no tribunal federal do Brooklyn, disse que as evidências refletem a “indiferença de Kelly ao sofrimento humano” e a “pura brutalidade” em relação às vítimas.

“Este caso não é sobre sexo. É sobre violência, crueldade e controle”, disse Donnelly a Kelly. “Você deixou um rastro de vidas quebradas.” Kelly, cujo nome verdadeiro é Robert Sylvester Kelly, não falou durante a audiência, mas negou as acusações de abuso sexual.

Sua advogada, Jennifer Bonjean, disse a repórteres que R. Kelly estava “devastado” com a sentença, mas que iria apelar. “Trinta anos de prisão é como uma sentença de prisão perpétua para ele”, disse Bonjean.

O julgamento durou seis semanas e contou com o depoimento de 45 testemunhas. Foi revelado que o músico usava seus funcionários para atrair fãs e aspirantes a músicos, submetendo-os a abusos sexuais e condições precárias. 

Onze vítimas depuseram contra o artista no tribunal: nove mulheres e dois homens. Três delas afirmaram que eram menores de idade quando foram abusadas por Kelly. Além de crimes sexuais, os abusos praticados pelo cantor incluíam trancar as vítimas por dias, sem acesso a comida e banheiro. Muitos disseram que os abusos levaram a problemas de saúde mental, que persistem até hoje.

Assine a newsletter do Gizmodo

Vários pessoas testemunharam durante o julgamento sobre como R. Kelly exigiria que suas vítimas obedecessem estritamente às suas regras. Isso incluía precisar de sua permissão para ir ao banheiro, chamá-lo de “papai” e escrever “cartas de desculpas” que pretendiam absorver Kelly de irregularidades, entre outros.

R. Kelly ficou famoso nos anos 1990, com sucessos como “I Believe I Can Fly” e “I’m Your Angel”, em parceria com Celine Dion. Após ser condenado, deve ser transferido para Chicago, onde enfrentará um julgamento por pornografia infantil e obstrução de justiça. Ele também tem acusações nos estados americanos de Illinois e Minnesota.