Este caso é meio bizarro, mas é interessante também. Leon Walker, nos EUA, foi acusado de ler ilegalmente os e-mails da mulher. Eles mostravam que ela tinha um caso com o segundo marido dela, um homem com histórico de violência doméstica.

Walker encaminhou os e-mails para o primeiro marido dela, pai do filho dela, porque se sentia obrigado a proteger o menino, mas agora precisa encarar possíveis cinco anos de prisão por infringir uma lei contra fraude de identidade.

A defesa deve explorar a zona cinzenta dessa lei: dada a natureza da “invasão de privacidade”, a lei pode não ser aplicada nesse caso. Walker acessou os e-mails da esposa num laptop que, segundo ele, toda a família usava, usando uma senha que ela guardava em um livro perto do computador. A esposa não foi exatamente hackeada. [Freep]