Um casal australiano recebeu multas pesadas nesta semana por violar ordens de quarentena após publicar fotos tiradas em um local turístico a duas horas de sua casa. A polícia apareceu na porta deles e emitiu uma multa de mais de US$ 3.300, segundo reportagens. O único problema é que as fotos foram tiradas no ano passado, muito antes da proibição de viagens não essenciais por causa da pandemia de coronavírus.

O casal, identificado como Jaz e Garry Mott, do estado australiano de Victoria, postou as fotos no Facebook no início deste mês, mas as selfies foram tiradas em junho de 2019. Os estados da Austrália instituíram multas pesadas por violar a quarentena no país. Elas podem chegar a mais de US$ 10 mil.



A polícia de Victoria supostamente retirou as multas contra o casal Mott depois da reação da opinião pública sobre o caso. A Austrália fez um trabalho relativamente bom em conter a pandemia de coronavírus por meio de um regime massivo de testes e por ter instituído lockdowns bem cedo. A Austrália identificou 6.494 casos de COVID-19 e 61 mortes, de acordo com dados de terça-feira (14). Os EUA, por outro lado, identificaram 582.594 casos e 23.649 mortes, os números mais altos entre todos os países.

“Ocasionalmente, serão cometidos erros, é por isso que existe um processo de revisão para garantir que casos como esses sejam identificados e corrigidos”, disse a polícia à rede Seven News, da Austrália.

Não está claro se o casal explicou que as fotos eram antigas quando os policiais vieram entregar a advertência. Tentamos entrar em contato com Jaz Mott, mas ela não respondeu nossa mensagem no Facebook. Ao Daily Mail, ela disse que a polícia falou para não postarem mais fotos no Facebook, mesmo depois de eles terem percebido seu próprio erro.

O Today Show da Austrália fez um vídeo sobre a intervenção da polícia e postou no Facebook na terça-feira.

A polícia de Victoria insiste que não está monitorando as mídias sociais para encontrar pessoas que quebram a quarentena e deu a entender que esse incidente envolveu uma denúncia de terceiros. Mas é difícil saber se a polícia está dizendo a verdade.

Foi revelado ontem que a Polícia Federal Australiana (AFP, na sigla em inglês) está usando Clearview AI para rastrear pessoas usando reconhecimento facial avançado, apesar de a agência ter negado essa informação anteriormente, de acordo com a ABC News da Austrália. O fundador da Clearview, Hoan Ton-That, um australiano que atualmente vive nos EUA, tem várias ligações com organizações políticas de extrema direita.

Deixando isso de lado, esperamos que a polícia pare de multar as pessoas por fotos antigas de férias no Facebook. O crime caiu em todo o mundo, mas certamente eles podem encontrar algo melhor para fazer com o tempo. Talvez dar uma olhada no TikTok.