O CEO da Disney, Bob Iger, renunciou ao conselho da Apple. A decisão está relacionada com a competição acirrada que deve acontecer em novembro, quando ambas companhias lançarem seus serviços de streaming de vídeo.

De acordo com um documento da Apple enviado na última sexta-feira (13) para a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês), Iger renunciou no dia 10 de setembro, coincidindo com o evento anual de iPhones, que também revelou detalhes importantes sobre o serviço Apple TV+.



“Tenho o maior respeito por Tim Cook, sua equipe na Apple e por meus colegas de conselho”, disse Iger em um comunicado enviado ao Hollywood Reporter. “A Apple é um das empresas mais admiradas do mundo, conhecida pela qualidade e integridade de seus produtos e de suas pessoas, e eu sou eternamente grato por ter sido membro do conselho da companhia”.

Na semana passada, a Apple anunciou que seu serviço de streaming será lançado por US$ 5 mensais (no Brasil serão cobrados R$ 9,90) a partir do dia 1º de novembro, apenas 11 dias antes de o Disney+ ser lançado em mercados internacionais.

O preço do Apple TV+ o coloca como uma das opções mais baratas entre os serviços de streaming (o Disney+, por exemplo, custará US$ 6,99/mês, ainda sem previsão de chegada ao Brasil), porém rumores indicam que haverá pouco conteúdo em seu lançamento. É difícil dizer se a empresa de tecnologia conseguirá segurar a competição de gigantes como a Disney, sem contar com o histórico da Netflix e os pesados investimentos da Amazon com o Prime Video.

Independente de como a guerra de streaming irá se desenrolar, o anúncio da Apple colocou oficialmente a empresa de tecnologia em concorrência direta com a Disney, forçando Iger a se afastar para evitar um potencial conflito de interesses.

Um caso semelhante ocorreu em 2009, quando o CEO do Google, Eric Schmidt, se distanciou da Apple, depois que ficou claro que o Android concorreria com o iPhone.

Em um comunicado distribuído a diversos veículos, a Apple descreveu Iger como um “exemplo” e “um modelo para toda uma geração de líderes de negócios”.

“Embora iremos sentir muita falta de suas contribuições como membro do conselho, respeitamos sua decisão e temos grandes expectativas de que nosso relacionamento com Bob e com a Disney continuará no futuro”.