Colocar uma pimenta aleatória na boca é o equivalente culinário de jogar roleta russa. Algumas são suaves e cheias de sabor, enquanto outras farão você se sentir como se tivesse mordido a superfície do Sol. Sem saber de onde vem uma pimenta, é difícil ter uma noção do nível de picância dela. Então, pesquisadores da Tailândia criaram um acessório para smartphone que pode medir a “potência” de uma pimenta.

Quase todo hardware montado por pesquisadores parece ter sido feito a partir de componentes aleatórios. O Chilica-Pod, criado da Universidade Prince of Songkla da Tailândia, foge à regra: parece algo que você pode encontrar em uma loja de departamento chique.

Com a forma de uma pimenta real, o sensor se conecta com um aplicativo para fornecer uma medida da quantidade de capsaicina, que é o ingrediente específico que causa a “ardência”. Quanto maior a concentração de capsaicina, mais forte a pimenta, mas a medição geralmente requer equipamentos de laboratório volumosos.

A solução mais fácil, se você não se sentir confortável com coisas muito picantes, é geralmente deixar as pimentas de lado. Mas com o Chilica-Pod, os usuários podem de avaliar rapidamente como será a experiência de comer determinada pimenta antes de sujeitarem suas bocas a toda a dor e agonia.

O sensor usa tiras de teste à base de papel de uso único que contêm nanoplacas de grafeno (que são folhas finas de grafeno em fitas pequenas) aprimoradas com átomos de nitrogênio para melhorar sua condutividade elétrica.

Uma pequena amostra de pimenta, que pode ser fresca ou seca, é misturada a uma solução contendo etanol, que é então adicionada à tira de papel em pequenas gotas. A capsaicina na gota oxida quando entra em contato com o grafeno enriquecido com nitrogênio, o que produz uma corrente elétrica que pode ser medida. Quanto maior a corrente detectada pelo sensor, maior será a concentração de capsaicina na pimenta sendo testada.

O Chilica-Pod foi testado em seis amostras diferentes de pimenta seca pela equipe que o criou e, até agora, mostrou um nível de precisão equivalente ao hardware e às metodologias de laboratório usadas atualmente para medir os níveis de capsaicina nos alimentos.

O sistema não é tão independente ou à prova de falhas como um bafômetro — ele ainda requer que a amostra seja misturada em uma solução e diluída antes de ser aplicada nas tiras de teste — então não espere usar o Chilica-Pod rapidamente pouco antes de comer um prato. Mas um dia pode ser útil na cozinha, tanto para chefs profissionais quanto para cozinheiros domésticos que desejam ter certeza de que não estarão, acidentalmente, submetendo ninguém a uma experiência desagradável.