O Google Chrome nos fez um favorzão quando começou a avisar quais abas estão emitindo som, mas a internet desenvolveu mais uma coisa irritante depois disso: sites que reproduzem automaticamente vídeo ou áudio. Pelo jeito o Chrome tem algo para melhorar isso também.

De acordo com o evangelista do projeto Chromium François Beaufort, uma das mudanças previstas para as próximas versões do navegador do Google é uma restrição da reprodução automática apenas para a aba que está ativa.  Funciona assim: sabe quando você clica em um link aleatório e, do nada, todo mundo ao seu redor começa a ouvir algum anúncio que começou a tocar automaticamente nele sem que você perceba? Então, com a mudança no Chrome, esse arquivo de mídia só será reproduzido se você estiver olhando diretamente para essa aba. Se não, a reprodução fica esperando pelo momento em que você começar a mexer nela. Fantástico!



Um grande problema que isso poderia trazer também já tem meio que uma solução. Vamos dizer que você ouve música por algum serviço na web – um Spotify, ou Deezer, ou Rdio da vida. Bem, essa aba não fica necessariamente ativa o tempo inteiro, mas você quer ouvir todas aquelas músicas colocadas em uma lista sem precisar ficar voltando para lá quando a canção anterior chegar ao fim e o silêncio tomar conta da sala. O Chrome vai dar “permissão” para essa aba até que ela seja fechada. Mexeu mesmo que por um segundo na aba com a playlist do YouTube? Até ela ser encerrada, a reprodução automática continuará ativada nela.

De uns tempos para cá noto cada vez mais sites usando reprodução automática em vídeos, e não só em caso de YouTubes e serviços de streaming da vida. Sites de notícias mesmo começaram a adotar essa prática, que me irrita bastante. Felizmente não sou o único a ficar incomodado – os engenheiros do Google não parecem ser muito fãs disso também. O recurso por enquanto está em fase de desenvolvimento e deve começar a aparecer inicialmente em versões beta do Chrome, antes de ser formalmente introduzido em uma atualização final do navegador. [Google+ via TechCrunch]