Com as redes sociais, os tradicionais álbuns de fotos de família têm se tornado coisa do passado. Isso não significa, claro, que suas memórias também precisam cair no esquecimento.

Quando você passar dessa para melhor, todas aquelas fotos publicadas na internet permanecerão online, como uma espécie de memorial virtual sobre a sua existência — pelo menos, enquanto as plataformas permanecerem no ar.

O problema é que as fotos que estão no Instagram ou Facebook sofrem um processo de compressão, que reduz a qualidade da foto. Então, se por um acaso, um filho, neto ou bisneto quiser ter um quadro na sala com a sua foto, ficarão frustrados ao perceber que as imagens tiradas dessas plataformas e impressas no papel não ficarão boas o suficiente.

Felizmente, várias plataformas contam com ferramentas e configurações que permitem selecionar os chamados herdeiros digitais. Assim, quando você vestir o paletó de madeira, amigos e familiares terão acesso a todo o seu álbum de fotos, inclusive aquelas imagens que não foram postadas nas redes sociais.

Fotos no Google Drive

Uma maneira de deixar as suas selfies é criar uma pasta no Google Fotos ou no Google Drive e ir salvando os arquivos ao longo do tempo. Depois, basta acessar as configurações da conta Google e procurar por contas Inativas, na opção de dados e privacidade. Lá, é possível configurar até 10 contatos que terão acesso à sua conta, inclusive com a possibilidade de escolher qual aplicativo eles terão acesso.

Vale lembrar que você também pode facilmente compartilhar esses álbuns de fotos com amigos e familiares desde já. Não é preciso esperar você bater as botas para liberar essa acesso. Basta selecionar a pasta com as fotos e clicar na opção de compartilhar por link ou e-mail do Google.

iCloud da Apple

De modo muito parecido com o Google, a Apple também tem um recurso de legado digital, caso você venha falecer. A partir do iOS 15.2, é possível selecionar até cinco contatos herdados, disponíveis nas configurações de senha e segurança. Você precisará mostrar um QR-Code para os selecionados, para que eles possam ter acesso ao iCloud com as suas fotos.

Dropbox, mas é complicado

Outra opção de armazenamento online de fotos é o Dropbox. Entretanto, aqui o processo é diferente, e mais complicado: os familiares terão que criar uma conta na plataforma, acessar uma página de suporte, provar que você esticou as canelas e, ainda, apresentar uma ordem judicial de que você autorizou esse tipo de acesso.

Que tal o Flickr, para compartilhar as fotos?

Caso você não goste da ideia de que parentes tenham acesso a sua conta pessoal, mesmo após você ir para a terra dos pés juntos, você também pode compartilhar suas fotos em álbuns públicos ou privados no Flickr, que mantém as fotos em bons tamanhos e resoluções, mesmo para impressão.

Dica extra: não se esqueça de apagar os nudes regularmente. Vai que, né?