Dormir com um cachorro em seu quarto ou até mesmo na sua cama afeta a qualidade do sono? Essa era a pergunta que pesquisadores tentaram responder em um estudo publicado na revista Mayo ­Clinic Proceedings. A conclusão foi de que os cãezinhos praticamente não afetam a qualidade do sono.

• Cachorros conseguem farejar malária em meias usadas
• Novo estudo reforça que o seu cachorro entende o que você fala — e ainda se esforça para aprender

Para a realização da pesquisa, os cientistas monitoraram 40 adultos saudáveis que não tinham distúrbios do sono (com média de 44 anos de idade) e que eram donos de cães mais velhos do que seis meses (com média de cinco anos de idade) que dormiam em seus quartos. Durante sete noites, as pessoas dormiram com um monitor de atividade no pulso, enquanto os cachorros usaram um dispositivo similar como coleira.

Os dados mostraram que as pessoas passaram, em média, 7,9 horas na cama e dormiram por 6,7 horas. Já os cães brincavam por alguns minutos, ficavam ativos por uma hora e dormiam por cerca de 6,9 horas.

A “eficiência do sono”, que se dá em razão do tempo em que se passou na cama e o tempo que a pessoa de fato dormiu, teve média de 83%, independentemente do tamanho do cachorro que estava no quarto. Esse coeficiente caiu para 80% quando o cão estava na cama do dono. Ainda assim, os cientistas consideram uma eficiência acima de 80% como satisfatória.

O estudo mostra que a presença dos cachorros no quarto ou na cama não modifica tanto o comportamento do sono, mas há alguns pontos a serem destacados nos dados do estudo: trata-se de uma amostragem pequena de pessoas e de tempo, além de não haver uma comparação direta com pessoas que dormiram sozinhas, sem nenhuma companhia no quarto.

[Washington Post, Mayo Clinic Proceedings]

Imagem do topo: Pixabay/Mikefoster