Duna, um dos filmes mais aguardados de 2021 (e um dos mais adiados também), é a adaptação do livro homônimo de ficção científica pelas mãos do diretor Denis Villeneuve — a mente brilhante por trás de Blade Runner 2049, Sicario e A Chegada.

A primeira exibição do filme aconteceu hoje (03) no Festival Internacional de Cinema de Veneza e as críticas são fortemente positivas. Em uma coletiva de imprensa (que você pode conferir na íntegra), Villeneuve disse que a segurança está em primeiro lugar, mas reforça que a experiência completa está no IMAX.

“Foi sonhado, desenhado, feito e filmado em IMAX. O design de som também. Quando você vê este filme em tela grande, em IMAX, é como uma experiência física. Tentamos fazer o mais imersivo o possível”, declara.

A maior concentração de salas IMAX, formato de altíssima qualidade – e altíssimo preço – do Brasil está no estado de São Paulo. São 12 unidades ao redor do país, sendo 3 somente na capital paulista. Os ingressos no Bourbon Shopping, para referência, vão de R$30 a até R$58.

O diretor também afirmou que o maior desafio de adaptação foi se ater ao nível de detalhe do livro, enquanto tentava equilibrar a quantidade de informações a quem desconhece o material original – assegurando que o espectador não precisará ler o livro antes de ver o filme. Por contexto: Duna contará somente a metade da história da primeira obra da série.

Assine a newsletter do Gizmodo

O diretor foi transparente em suas declarações sobre a volta do público ao cinema, dizendo em certas instâncias que a pandemia é um grande vilão. No entanto, encorajou o público a ver Duna em IMAX, pois o filme foi projetado considerando a melhor experiência possível dos espectadores.

Logo após a declaração de Villeneuve, Timothée Chalamet, que interpreta o protagonista, disse que “seria um sonho” fazer o segundo filme. Duna estreia em 09 de outubro no Brasil.