A treta de milhões existe, ou melhor, bilhões. Após Elon Musk comprar o Twitter , Jeff Bezos, outro bilionário (o fundador da Amazon), fez questão de comentar a aquisição de Musk, agora dono da rede social do passarinho.

Menos de 24 horas após Elon Musk adquirir o Twitter, Jeff Bezos, o segundo homem mais rico do mundo, comentou sobre acordo de compra da rede social e questionou quais são as verdadeiras intenções do dono da SpaceX.

Entre as indagações feitas pelo dono da Blue Origin, ele quis saber sobre qual será a influência da China no Twitter com o novo comando.

Em um retuíte, Bezos compartilhou uma publicação de um repórter do jornal “The New York Times”, onde ele listou a importância da China para os negócios da Tesla –a outra gigante de Musk–, incluindo o fato de ser o segundo maior mercado da fabricante de carros elétricos e a principal origem de baterias para os veículos.

Bezods perguntou se o acordo em dinheiro de Elon Musk de US$ 44 bilhões para comprar o Twitter dá à China “um pouco de influência sobre a praça da cidade”.

 

Ainda no Twitter, Bezos respondeu sua própria pergunta e disse que acha improvável que qualquer pressão da China resulte em alguma censura na rede social.

“Minha própria resposta a essa pergunta provavelmente não é. O resultado provável a esse respeito é a complexidade na China para a Tesla, em vez de censura no Twitter. Mas vamos ver. Musk é extremamente bom em lidar com esse tipo de complexidade”, finalizou.

Vale lembrar que em muitos países, o Twitter tem estado no centro de intensas discussões sobre liberdade de expressão e disseminação de desinformação. Na própria China, por exemplo, a rede social é bloqueada desde 2009, mas pode ser que isso mude com o comando de Elon Musk.

Até o momento, o novo dono do Twitter não respondeu a essas alfinetadas de Jeff Bezos.