No ano passado, escondido entre os estandes do CES Unveiled, um prato vegetariano intocado e uma horda de jornalistas de tecnologia cansados, me deparei com o Band-aid de períneo.

Na época, o curativo estilo “band-aid” era mais um conceito do que um produto real – como muitos gadgets exibidos na CES. A Morari Medical, a empresa por trás desta invenção, tinha um estande bastante minimalista. Havia apenas um computador exibindo uma apresentação em slides sobre a ejaculação precoce e um manequim sem pênis com o que parecia ser um curativo normal na região do períneo.

Tínhamos várias perguntas. Isso doeria? Na época, o CEO da Morari Medical, Jeff Bennett, nos garantiu que não, não causaria dor. Mas ainda assim, qual seria a sensação? Aplicar um adesivo que envia uma corrente elétrica para “inibir os nervos do pênis, retardando assim a ejaculação” realmente funcionaria? Almas corajosas arriscariam suas “partes” para serem cobaias nesta pesquisa? Esse curativo adesivo realmente chegaria às prateleiras ou estava condenado a ser mais uma raridade do CES?

Já se passou um ano desde que coloquei os olhos no dispositivo, e amigos, fiz minha devida diligência como nerd de wearables do Gizmodo para responder exaustivamente o máximo de perguntas humanamente possíveis.

Embora o dispositivo ainda não tenha um nome oficial, o comunicado de imprensa da Morari Medical chama de band-aid de períneo. No ano passado, a empresa o testou em pessoas reais durante o teste beta, resultando em um novo design de protótipo.

“Percebemos que tínhamos que fazer algumas modificações no produto do ponto de vista do design”, disse Bennett ao Gizmodo por telefone. “No ano passado parecia mais um curativo, um produto retangular. Enquanto a estimulação estava funcionando, ela simplesmente não estava aderindo e segurando na pele tão bem quanto queríamos.”

Bennett diz que os médicos foram consultados sobre o que poderia ajudar na aderência ao períneo, uma parte única da anatomia humana, que resultou no novo design em forma de borboleta. Ele também enfatizou que a empresa fez um grande esforço para garantir que o adesivo não prejudicasse locais mais sensíveis. O novo protótipo também adicionou conectividade via Bluetooth, para que os usuários possam ajustar o nível de intensidade por meio de um aplicativo.

“Cada pessoa é um pouco diferente em termos do estudo de energia que fizemos para ter essa sensação e é aí que o Bluetooth entra em ação”, diz Bennet. “Temos um protótipo funcional com Bluetooth que se comunicará com o produto para que, quando você estiver no calor do momento, não precise se preocupar em colocar o dedo lá para tentar sentir onde está o botão para aumentar ou diminuir a estimulação.”

Mas como você se sente? Não é que eu não confiasse em Bennett quando ele disse que haviam descoberto uma maneira de tornar o band-aid de períneo bem limpo. Mesmo assim, eu queria ouvir de alguém que realmente o testou em si mesmo.

“É como um pequeno formigamento”, diz Don (um pseudônimo), um dos testadores beta do dispositivo. “Se você já teve alguma experiência com a TENS, é basicamente a mesma sensação mas de forma moderada.” A TENS emprega estimulação nervosa elétrica transcutânea – é basicamente um adesivo que envia uma corrente suave pela pele – para reduzir a dor.

Don confirmou que o adesivo não era doloroso de remover e que ele e sua esposa o usaram cerca de quatro ou cinco vezes como parte do estudo da Morari Medical. Mas, mesmo que não tenha sido doloroso, custa caro. E aí vem a pergunta: funcionou?!?!?

“Definitivamente ajudou a aumentar o tempo entre a penetração e a ejaculação. O que era o que realmente esperava ”, disse Don. “Fiquei feliz com isso e com os resultados.”

Dispositivo com o aplicativo de acompanhamento. Imagem: Morari Medical.

De acordo com Bennett, após o teste beta do adesivo, a empresa descobriu que depois de experimentá-lo pela primeira vez, as pessoas se adaptam à sensação a ponto de não sentirem mais o dispositivo. “É semelhante ao entrar em um banho quente. Se você aumentar muito a temperatura e pular imediatamente, você ficará tipo ‘Uau! Isso dói!’ Mas se você aumentar a temperatura gradualmente, não parecerá mais tão quente.”

Ok, agora que recebemos várias garantias de que o dispositivo vestível não destruirá o períneo – o que vem a seguir?

Neste momento, Bennett diz que a empresa está concluindo a inscrição de um estudo de viabilidade para casais que lidam com a ejaculação precoce. O conteúdo foi aprovado pelo Comitê de Revisão Institucional e a Morari Medical espera resultados preliminares até o final do primeiro trimestre de 2021. A empresa também está avançando agressivamente em direção a uma versão pronta para o consumidor até o final deste ano.

Isso só me deixou com mais perguntas. Ele vai ser para uso único? Você… o reutiliza indefinidamente até ter pele morta ou o suor tornar impossível de colar? Quanto custará para arrumar a parte elétrica? A Morari Medical descobriu algo … surpreendente durante seu teste beta? E quanto à privacidade? O aplicativo coletará dados sobre suas aventuras? O espaço da tecnologia de sexo conectado – carinhosamente apelidados na internet de dongs – provou repetidamente ter diversas falhas quando se trata de privacidade e segurança.

Para seu crédito, Bennett não hesitou em responder às minhas perguntas.

Simplificando, o dispositivo funcionará como navalhas e lâminas de barbear. Você mantém o componente elétrico, que será “encapsulado em um material macio”. Esta parte também contará com uma bateria recarregável. No entanto, a parte adesiva provavelmente será descartável. Embora o preço ainda não seja definitivo, o componente eletrônico reutilizável pode estar na faixa de US$ 100 a US$ 200, com cada patch de uso único custando cerca de US$ 25. Quanto à privacidade, Bennett diz que a empresa não coletará dados de identificação – o Bluetooth está lá apenas para controlá-lo.

Quanto a saber se a Morari Medical descobriu algo inesperado durante seu teste beta, Bennett foi enigmático. “Sim e é algo que ainda não estamos dispostos a divulgar. Vamos tentar confirmar no estudo que estamos fazendo agora. Se pudermos confirmar, será uma coisa muito, muito boa.”