Dizem os rumores que o plano “seis avisos e você está meio que fora, ou pelo menos com menos velocidade” vai chegar em breve às operadoras dos Estados Unidos. Existem documentos que mostram isso. Agora, o TorrentFreak teve acesso às medidas que serão tomadas pela Verizon, e as outras operadoras não devem ter políticas muito diferentes.

Ele parece de acordo com os planos que estavam sendo especulados:

  • Primeiro e segundo alerta: Os dois primeiros alertas serão enviados em forma de mensagem. O usuário vai receber um e-mail e uma mensagem de voz no número de telefone vinculado à conta da operadora notificando que foi detectada possível atividade de violação de copyright.
  • Terceiro e quarto alerta: A partir da terceira notificação, o usuário vai ser redirecionado pra uma página especial com um pequeno vídeo falando que você é uma má pessoa, explicando sobre copyright e as consequências de baixar conteúdo pirata.
  • Quinto e sexto alerta: Já nas duas últimas notificações, o usuário vai ser redirecionado para um site que dará algumas opções a ele. São elas a redução imediata da conexão para 256 kbps durante dois ou três dias; a possibilidade de adiar a redução da velocidade por até 14 dias; e, caso ele não esteja baixando nada errado e mesmo assim seja acusado, vai poder pedir a revisão dos alertas. Nesse caso, é necessário pagar uma taxa de US$ 35 para a revisão ser feita, e o usuário recebe o dinheiro de volta caso seja provado que ele estava certo. Em nenhum momento a conexão vai ser cortada. Você sabe, eles querem dinheiro.

Curiosamente, a documentação não fala nada sobre a sétima ou outra vez que você for pego baixando coisas ilegais, mas podemos imaginar que a MPAA seja acionada. Isso também vai incluir usuários corporativos também – então é possível que Wi-Fi gratuito em cafés fornecido pela Verizon se tornem coisa do passado.

Ninguém sabe ainda quando o sistema vai começar a funcionar. Diziam que ele começaria a valer no verão de 2011, e outros documentos apontavam novembro de 2012. Qualquer que seja o caso, eles definitivamente passarão a valer. Mas, é claro, isso é lá nos Estados Unidos – por aqui nenhuma legislação foi aprovada permitindo que as operadoras façam isso. [TorrentFreak]