Motola, assim como muitos que vivem perto de antigas zonas de guerra e campos minados esquecidos, perdeu um membro em 1999. Felizmente, a medicina moderna e um membro artificial fizeram com que hoje ela pudesse andar de novo. O lance é que Motola é um elefante.

E, tal qual um elefante, ela pesa três toneladas. Alguém pesado desse jeito — desculpe a indelicadeza — precisa de uma prótese realmente forte. E ela demorou alguns anos para ficar pronta.

Nesse meio tempo, Motola teve que usar uma prótese temporária completamente incompatível com o seu status enquanto respeitável paquiderme de 48 anos de idade.

Mas ela teve paciência, e hoje deu seus primeiros passos. Eles foram um sucesso. Para celebrar a ocasião, Motola aspirou um pouco de areia do chão e soprou para o céu, como fogos de artifício em pó. Ela ainda precisa praticar um pouco, mas a perna mecânica suportou o seu peso e agora ela vai poder andar com um pouco de dignidade pelo resto dos seus dias. [SFGate]