No dia 1º de abril, o dia da mentira, o perfil oficial do Twitter fez uma pegadinha com seus seguidores, dizendo que estava trabalhando para criar um botão de editar tuítes. Mas parece que Elon Musk levou a brincadeira a sério.

Após comprar quase 10% das ações do Twitter por US$ 2,89 bilhões, o bilionário sul-africano fez uma enquete em seu perfil oficial do Twitter, perguntando se quem o acompanha gostaria de um botão de editar na plataforma.

Atualmente, quem comete algum erro no tuíte e só percebe após a publicação tem duas opções: ignorar o erro ou apagar e reescrever o post. Isso desagrada muitos usuários da rede social, que pedem há anos uma opção para editar seus tuítes.

Novo acionista

O CEO do Twitter, Parag Agrawal, anunciou que Musk fará parte do corpo diretivo da empresa até o ano de 2024. Além disso, anunciou o bilionário como novo membro do Conselho de Administração. Após a divulgação da informação, Elon Musk prometeu fazer algumas “melhorias significativas” na rede social.

A notícia da aquisição fez com que as ações da empresa disparassem, com uma alta que chegou perto de 25%. Musk já faturou quase US$ 800 milhões só com a compra.

As ações da Meta Platforms (Facebook, Instagram e Whatsapp) e Snap Inc, dona do Snapchat, também passaram a ser negociadas em alta.

Assine a newsletter do Gizmodo

Um temor dos usuários da plataforma é que a entrada de Musk possa influenciar as políticas de moderação de conteúdo de desinformação da plataforma. Musk já fez algumas declarações polêmicas na rede social, onde tem 80 milhões de seguidores, e foi acusado de negacionismo durante a pandemia.

O bilionário já reclamou das políticas da empresa e considerou que há falta de liberdade de expressão na plataforma.