Para quem vive perdendo o cartão de vacinação, ou o popular passaporte vacinal, que comprova que o indivíduo recebeu alguma dose dos imunizantes contra a Covid-19, uma nova tecnologia desenvolvida na Europa pode garantir que isso jamais volte a ser um problema.

Uma empresa na Suécia chamada DSruptive desenvolveu um microchip capaz de armazenar essas informações de vacinação e implantá-lo diretamente no usuário, mas precisamente, na mão.

O implante digitalizável pré-programado mede 2 por 16 mm e, quando escaneado, mostra as informações inseridas nele.

Como funciona

O microchip funciona com a tecnologia NFC (Comunicação de Campo Próximo), que no Brasil já é usada há algum tempo, e mais recentemente se popularizou com os pagamentos por aproximação de cartão de crédito ou até com o próprio celular.

Segundo a criadora dos microchips, os implantes não podem ser usados ​​para rastrear a localização de uma pessoa, além de serem passivos, o que significa que não possuem bateria.

Eles também não podem transmitir informações independentemente, já que são ativados apenas momentaneamente quando o usuário os emparelha com um smartphone.

Hannes Sjoblad, diretor administrativo da empresa revelou que já usa o dispositivo.

“Tenho um implante de chip em meu braço e o programei para meu passaporte de covid-19. O motivo é que quero sempre tê-lo acessível”, afirma o diretor administrativo.

Assine a newsletter do Gizmodo

Ao ser escaneado com o telefone celular, o dispositivo abre um PDF com os dados da vacinação. No caso de Sjoblad, ele contém o Certificado Digital Covid-19 da União Europeia.

A DSruptive também ressaltou que ainda não vende implantes aos consumidores. Mas que isso pode acontecer no futuro com a ajuda de distribuidores parceiros.