Quando a Essential lançou a primeira tela com entalhe no PH-1 há seis meses, foi uma decisão ousada e uma demonstração divisora sobre uma nova forma de design de smartphone. Aí a Apple se utilizou do mesmo recurso no iPhone X, embora o sentimento sobre o entalhe tenha ido da confusão para uma apreciação curiosa. Mas agora, após a Mobile World Congress 2018 e vendo quase todas as fabricantes adotarem o entalhe, o recurso meio que perdeu o apelo.

Os destaques da MWC 2018
Hands-on: Galaxy S9, um competidor à altura do iPhone X
Este smartphone chinês tem sensor de digitais na tela e câmera de selfie retrátil

Lógico que tem alguns casos mais esquisitos. O Zenfone 5, da Asus, não só adotou o entalhe do iPhone X como todo o design do smartphone da Apple. Tem ainda o R15 feito pela Oppo, a quinta maior fabricante de smartphone do mundo. Até mesmo a LG, que mostrou o G7 a portas fechadas, adotou o entalhe.

Isso sem citar os muitos smartphones lançados no mercado asiático que não conhecemos. E com rumores de que Huawei e OnePlus também vão entrar na onda, daqui a algum tempo só teremos os Pixels, Galaxys e talvez alguns Motorola com telas retangulares.

O mundo todo está aderindo à moda. E você pode ter algumas reações quanto a este recurso de design. Uma possibilidade é você ficar com raiva, o que é ok, mas em vez disso, por que não tentar ver o que tem ocasionado essa mudança? Com essa tendência recente de telas de smartphone ocupando cada vez mais a parte frontal do telefone e a eliminação das bordas, o entalhe era uma evolução inevitável.

O View 2 Pro, da Wiko, é mais um smartphone com entalhe

Não dá para simplesmente tirar a câmera frontal do smartphone sem entrar em guerra com as pessoas que adoram postar suas fotos em redes sociais. No entanto, dá para recuperar o espaço dos lados com os sensores frontais do telefone, que é exatamente a linha de pensamento para a inclusão do entalhe — um espaço para colocar sensores e a câmera. E embora o entalhe do Zenfone 5 seja sem inspiração, é preciso dar crédito para a Asus por fazer um dispositivo com relação tela-corpo de 90%, o que é melhor que o iPhone (82,9%) e o Galaxy S9 (83,6%).

Quando você percebe isso, parece que é meio bobo as fabricantes de smartphones Android copiarem o entalhe do iPhone X. O entalhe nem foi um recurso usado primeiramente pelo iPhone. Sem contar que dizer que essas novas fabricantes estão copiando a Apple parece pouco preciso.

Já cansou dos entalhes? Este aqui é o Ulefone 72 Pro

O iPhone X é muito mais que um telefone com uma tela esquisita. O entalhe esconde uma tecnologia impressionante de reconhecimento facial, algo que alguns fabricantes de aparelhos Android têm tentado replicar. O iPhone X também tem uma qualidade de fabricação que raramente se vê em dispositivos Android, além disso, o seu processador ainda bate os da Qualcomm quando se considera apenas a velocidade.

Sim, o Zenfone 5 é um clone do iPhone X, mas porque eles copiaram quase tudo do aparelho da Apple. A maioria dos outros telefones simplesmente estão entrando na onda de telas maiores e mais imersivas.

Agora, voltando à perda de apelo no entalhe. Quando você pensa sobre, o entalhe é um problema com uma utilidade, e como todo mundo sabe, a utilidade geralmente se opõe ao estilo.

Se as fabricantes tivessem interessadas em algo legal e novo, elas teriam de tentar mais. Se me perguntassem um exemplo, eu diria que a chinesa Vivo fez um bom trabalho ao colocar uma câmera de selfie retrátil. E é justamente este o problema de tudo isso: como Essential e Apple adicionaram o entalhe, todo mundo entrou na onda e arruinou a tendência — pior ainda quando não tem nenhuma utilidade interessante para o “buraco” que fica na tela.

No fim das contas, nada é pior do que encontrar alguém em uma festa usando a mesma roupa que a sua, né?

Todas as imagens do post por Sam Rutherford/Gizmodo