Alegria, alegria, alegria, viciados em Photoshop do mundo: a Adobe está mesmo caindo de cabeça no mundo do tablet. E apesar disso não ser o verdadeiro Photoshop para iPad (ainda), o meu software mais adorado dessa vida está ganhando novidades boas.

Estes são os três primeiros aplicativos Photoshop Touch que a Adobe está trazendo. Eles estarão disponíveis em algum ponto de maio, na App Store, e se chamam Eazel, Color Lava e Nav. Mas se o Photoshop Touch não é o Photoshop para iPad de verdade, o que ele é? E como esses apps funcionam?

O que é o Photoshop Touch?

A Adobe está atualizando o Photoshop CS5 com uma nova arquitetura, que vai permitir que o programa se comunique com tablets iOS, Android e BlackBerry.

A atualização gratuita — que também fará parte do Photoshop CS 5.5 em algumas semanas — tem canais que permitem que aplicativos de terceiros se comuniquem diretamente com ele em tempo real. Esses canais serão acessíveis publicamente através de algo chamado Photoshop Touch Software Development Kit. Isso significa que qualquer desenvolvedor será capaz de integrar seus aplicativos com o Photoshop para desktop.

As possibilidades do Photoshop Touch SDK são infinitas. As pessoas poderão usar os seus iPads ou tablets Android para fazer coisas como controlar completamente as ferramentas do Photoshop. Pense em um gerenciador de camadas, um personalizador de pincéis ou um seletor avançado de cores. Isso de fato transforma qualquer tablet em uma superfície de controle para o Photoshop.

Adobe Nav

Este é o caso do primeiro dos três novos apps, o Adobe Nav for Photoshop CS5. Usando o Nav, você pode criar uma paleta customizada com 16 das suas ferramentas favoritas, além de escolher cores e controlar o zoom. Também será possível navegar por até 200 documentos já abertos no Photoshop, reordenando-os na ordem que você desejar. Com o Nav, qualquer imagem presente no seu iPad pode ser aberta no Photoshop do desktop instantaneamente.

Mas o SDK de toque da Adobe vai um pouco além de transformar o tablet em uma superfície de controle. Os desenvolvedores também poderão criar aplicativos de pintura ou edição de imagens independentes, mas que trabalhem em conjunto com o Photoshop para desktop se ambos estiverem conectados à mesma rede Wi-Fi.

Eazel e Color Lava

E foi precisamente isso que a Adobe fez com o Eazel e o Color Lava. Com o Color Lava você pode misturar cores de um modo mais natural, como uma paleta de pintura de verdade, com tintas. A partir das misturas, você pode criar amostras de cores individuais, além de temas de cor. Este aplicativo funciona conectado ao Photoshop em tempo real, mas também individualmente. Eu consigo imaginar um designer industrial ou de interiores o usando em qualquer lugar para combinar cores ou criar temas que depois possam ser instantaneamente sincronizados com o Photoshop da sua estação de trabalho.

Mas o aplicativo mais empolgante dos três, para mim, é o Eazel. Este aplicativo de pintura para o iPad funciona de maneira completamente independente da sua versão desktop e usa tecnologias novas para simular a pintura e realizar alguns malabarismos incríveis e úteis:

* O primeiro ponto é a sua interface, que é bonita em sua simplicidade. Coloque os cinco dedos na tela e os controles aparecem para que você mude a cor, opacidade ou tamanho da ponta do pincel.

* A outra tecnologia bacana é a mistura de tintas secas e úmidas, com um motor gráfico que permite às tintas secarem com o tempo, assim como na vida real.

* Mas a minha tecnologia favorita vem do processo de exportação para o Photoshop CS5. Quando você envia a sua imagem do Eazel para o Photoshop CS5, você pode escolher renderizá-la em qualquer resolução. Em outras palavras: você pode recriar uma pintura sua e tê-la pronta para impressão em qualquer tamanho imaginável, com a totalidade dos detalhes e absolutamente nenhuma pixelação.

Eu sou viciado no Sketchbook para iPad, mas depois de ler isso, só quero saber do Eazel (espero que a Autodesk também implemente essa integração com o CS5 no seu aplicativo). O lance de exportar em qualquer resolução me deixou especialmente feliz, principalmente porque imagino que isso praticamente confirme que o Photoshop completo para iPad vai funcionar da mesma forma.

Futuros apps Photoshop Touch

Já posso me imaginar carregando o meu iPad e a minha DSLR em uma viagem, conectando os dois para fazer modificações rápidas em RAWs, compor imagens ou fazer HDR usando imagens proxy, depois re-renderizando tudo no desktop em resolução para impressão. (Isso até que o iPad tenha memória o bastante para lidar com enormes imagens de DSLR sozinho, algo que eventualmente acontecerá também.)

A esperança é que muitos outros aplicativos como esses sejam feitos em breve, tanto pela Adobe quanto pelos desenvolvedores independentes.