Ciência

Estudo com 400 mil pessoas devasta efeitos das multivitaminas

Segundo a Forbes, a indústria de suplementos dietéticos, que inclui as multivitaminas, faturou US$ 177,5 bilhões em 2023.
Imagem: Unsplash/Reprodução

As multivitaminas não são tão úteis quanto pensamos. Pelo menos é o que relata um estudo da agência de pesquisa biomédica do governo dos EUA. O estudo, que analisou dados de 400 mil adultos dos EUA durante mais de 20 anos, afirma que não há evidências que comprovem a associação entre o uso regular de multivitaminas com a longevidade.

Benefícios e perigos são incertos

whatsapp invite banner

Muitas pessoas tomam multivitaminas visando melhorar a saúde. Porém, de acordo com o estudo, os benefícios e os perigos do uso regular ainda são incertos. Pesquisas anteriores sobre a relação entre o uso de multivitaminas e a longevidade apresentaram resultados mistos.

Os pesquisadores analisaram dados de três grandes estudos prospectivos com diversidade geográfica, envolvendo quase 400 mil adultos estadunidenses acompanhados por mais de 20 anos. A maioria dos participantes era saudável, sem histórico de câncer ou outras doenças crônicas.

O estudo, publicado na terça-feira (26), conseguiu mostrar que, em relação a efeitos no risco de morte, não há diferença entre pessoas que tomam diariamente multivitaminas e pessoas que não fazem uso.

Além disso, o estudo constatou que não há diferenças na taxa de mortalidade por câncer, doenças cardíacas ou AVC entre esses dois grupos.

Na verdade, surpreendentemente, o estudo afirmou que pessoas que tomam multivitaminas possuem um risco de morte 4% maior. No entanto, os pesquisadores não analisaram dados de pessoas com deficiências vitaminicas pré-existentes.

“Prometem muito e entregam pouco”

Os resultados foram ajustados por fatores como raça e etnia, nível de educação e qualidade da dieta.

Segundo os pesquisadores, é importante avaliar o uso de multivitaminas e os efeitos na longevidade em diferentes populações, como àquelas com deficiências nutricionais documentadas.

Em suma, o estudo constatou que as multivitaminas “prometem muito e entregam pouco”. Em vez de tomar multivitaminas, o estudo recomenda que as pessoas adotem hábitos alimentares mais saudáveis.

A indústria de suplementos dietéticos, que inclui as multivitaminas, faturou US$ 177,5 bilhões em 2023.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas