Snowball, a cacatua dançante, não só sacode a cabeça quando ouve música. Ele bate cabeça como se estivesse num show de rock. E ela bate cabeça com um pezinho pra cima.

Você já deve ter visto um vídeo do Snowball, a cacatua-de-crista-amarela que os cientistas disseram ser o primeiro dançarino não-humano lá em 2014, depois de atestarem que o pássaro era capaz de se mexer de acordo com uma batida (um pouco fora de sincronia, é verdade, mas de forma mais coordenada do que um simples movimento aleatório).

Os cientistas agora analisaram imagens do passarinho dançante e descobriram que ele inventa de forma espontânea uma gama diversa de novos movimentos. Isso é algo que apenas humanos e pássaros da família dos papagaios, como as cacatuas, parecem conseguir fazer.

“As pessoas poderiam esperar que espécies que estão mais próximas geneticamente dos humanos mostrassem esse comportamento, mas não vimos isso em chimpanzés”, afirma a autora principal do estudo, R. Joanne Jao Keehn, pesquisadora e professora assistente da Universidade do Estado de San Diego, ao Gizmodo.

“Mas os papagaios são únicos. Achamos que eles possuem certas capacidades neurais e cognitivas que juntas permitem que, expostos à música, eles consigam dançar”.

Então é hora de a gente ver o Snowball dançar:

As imagens são de setembro de 2008, quando Snowball tinha 12 anos de idade. Sua dona, Irena Schulz, filmou a cacatua dançando mas o acompanhava nos movimentos; ela apenas dizia algumas palavras de incentivo como “bom garoto!”, de acordo com o artigo publicado na Current Biology.

As músicas que Snowball gostava de dançar eram “Girls Just Want to Have Fun” de Cyndi Lauper e “Another One Bites The Dust” do Queen.

Os movimentos de dança foram definidos como “movimentos que são claramente intencionais mas que não são um meio eficiente de atingir quaisquer objetivos externos plausíveis, como locomoção básica”.

Jao Keehn explicou que o movimento precisava durar pelo menos seis quadros do vídeo e acontecer duas vezes durante as sessões para contar como um movimento de dança.

Snowball inventou 14 movimentos de dança e dois movimentos compostos. Os pesquisadores chamaram os movimentos de jogada de corpo, girada anti-horário, abaixadinha, chacoalhada em baixo, pezinho levantado, pezinho levantado com ginga, bate cabeça, cabeça e pé sincronizados, bate cabeça com pezinho levantado, pose, de um lado para o outro, semi-círculo em baixo, semi-círculo no alto, vogue, cabeça e pezinho sincronizado lá em baixo e bate cabeça/semi-círculo trocados.

Snowball geralmente continuava o mesmo movimento por menos tempo do que um humano normalmente faria, embora Schulz tenha notado que a cacatua dançava um pouco diferente quando alguém dançava junto com ele e quando estava sozinho.

Os cientistas se perguntavam como Snowball inventava os movimentos. Ou ele estava copiando os movimentos de dança de humanos ou de alguma maneira mapeando os padrões de movimento das pessoas com o seu próprio corpo. Ou simplesmente sendo criativo.

Porém, os cientistas geralmente documentam a criatividade animal em um contexto que envolve ganhar alguma recompensa, como comida ou conquistar um parceiro. Snowball não tinha nenhum motivo para ser criativo neste caso, além do prazer intrínseco de se movimentar.

Jao Keehn e outros pesquisadores levantaram a hipótese que os movimentos de dança surgem da combinação de cinco características que os papagaios e humanos compartilham. Isso inclui aprendizado de vocabulário, imitação não-verbal de movimentos, formação de vínculos sociais de longo prazo, habilidade de aprender sequências de ações complexas e prestar atenção em certos movimentos para comunicação.

Basicamente, dançar não é apenas um sinal de inteligência, mas um sinal de comportamento social complexo.

Outra pesquisadora não envolvida neste estudo concordou que o trabalho tem implicações importantes. “O comportamento de dança da cacatua não é motivada por um mecanismo simples e inflexível, mas por algum mecanismo neural que pode gerar comportamentos complexos, flexíveis e variáveis que são coordenados com a música”, afirmou Adena Schachner, professora assistente de psicologia da Universidade da Califórnia em San Diego, ao Gizmodo.

Ela disse que os autores mencionam outros papagaios que são capazes de dançar, e que gostaria de ver estudos dos comportamentos dessas aves para determinar o quão comum é a ação de dançar entre essas espécies.

Ainda assim, disse ela, “isso nos leva a pensar novamente que os papagaios são capazes de fazer algo profundamente similar com a dança humana. Por sua vez, isso joga luz a uma questão maior do porquê humanos ao redor do mundo – e talvez as cacatuas também – possuem a habilidade e a motivação de movimentar seus corpos com a música”.

Snowball ainda está vivo e esperamos que esteja batendo cabeça com o pezinho levantado. Estou ansioso para ver mais vídeos dele.