O Facebook anunciou nesta segunda-feira (2) que vai lançar uma ferramenta que permite aos usuários transferirem suas fotos e vídeos publicados na rede social para o Google Fotos e, posteriormente, para outras ferramentas online.

O primeiro país a ter acesso ao recurso será a Irlanda, com planos de ser disponibilizado globalmente no primeiro semestre de 2020. Segundo uma publicação no blog da empresa, a novidade é resultado de conversas que o Facebook teve com stakeholders de diversos países, incluindo o Brasil, Reino Unido, Alemanha e Singapura, sobre proteção de dados. 

O Google Fotos será o primeiro serviço compatível com essa transferência de dados, mas o Facebook afirma que a ideia é que, no futuro, os usuários possam enviar os arquivos para outras plataformas também. 

Para acessar essa opção de transferência de arquivos, basta ir nas Configurações da rede social e clicar em Suas Informações no Facebook, onde também é possível baixar os dados. 

Um ponto ressaltado no comunicado da empresa é que todos os dados transferidos serão criptografados e o Facebook irá solicitar que os usuários insiram sua senha antes que uma transferência seja iniciada. Ainda segundo a companhia, a nova ferramenta é baseada em um código desenvolvido por meio da participação do Facebook no Data Transfer Project, um projeto para criar uma plataforma de portabilidade de dados de código aberto apoiado por empresas como Apple, Google, Microsoft, Twitter e Facebook.

Conforme apontado pelo TechCrunch, a portabilidade de dados pode ser, de fato, uma forma de fazer os usuários se sentirem mais “seguros” e com maior controle de sua privacidade. No entanto, o novo recurso ainda gera alguns questionamentos, principalmente considerando que os dados serão apenas copiados para outra plataforma e o Facebook continuará tendo acesso às suas fotos. 

Além disso, mesmo que você exclua sua conta, o Facebook já terá utilizado suas informações para traçar um perfil seu, e quem garante que isso não será mantido pela empresa em algum lugar após a exclusão?

O Facebook afirma em seu comunicado que a nova ferramenta ainda está em fase de testes e que a empresa vai continuar a aprimorá-la com base no feedback que receberem dos usuários e das conversas com stakeholders. 

[Facebook, TechCrunch]