No domingo (29), o Twitter apagou dois tuítes do presidente Jair Bolsonaro. A empresa não deu muitos detalhes, mas dá para deduzir que teve relação com políticas contra desinformação sobre o COVID-19. Nesta segunda-feira, o Facebook tomou a mesma medida e apagou um vídeo do presidente na rede social e também no Instagram.

Assim como os vídeos apagados do Twitter, o conteúdo apagado do Facebook e do Instagram mostra o presidente passeando por Brasília e conversando com pessoas nas ruas. Em suas falas, ele defende o fim do isolamento social, contrariando recomendações do próprio Ministério da Saúde, e fala de supostos resultados positivos de remédios contra a COVID-19, sendo que os testes ainda não tiveram resultados conclusivos.

Em nota repercutida pela Folha e pela BBC, o Facebook diz: “Removemos conteúdo no Facebook e Instagram que viole nossos Padrões da Comunidade, que não permitem desinformação que possa causar danos reais às pessoas”.

De certa forma, a decisão é bastante surpreendente vinda do Facebook, que sempre adotou uma postura bastante permissiva para conteúdos e propagandas de políticos, tomando medidas mais duras em raros casos. No Twitter, o único chefe de estado antes de Bolsonaro a ter um tuíte deletado havia sido Nicolás Maduro, presidente da Venezuela.

[Folha, BBC]