Há quem diga que o coronavírus surgiu a partir do contato de pessoas com animais; e há os conspiratórios dizem que ele pode ter sido criado em laboratório e escapado. Até então, o Facebook não aceitava postagens que usassem esta segunda hipótese — e classificava esses conteúdos como falsos. Mas isso mudou: a rede social confirmou que não vai mais remover posts que afirmam que o vírus foi fabricado pelo ser humano.

“À luz das investigações em andamento sobre a origem da Covid-19, e em consulta com especialistas em saúde pública, não vamos mais remover em nossos aplicativos a alegação de que o vírus foi feito pelo homem”, disse um porta-voz do Facebook em comunicado. “Continuamos trabalhando com especialistas em saúde para acompanhar a evolução da natureza da pandemia e atualizar regularmente nossas políticas à medida que novos fatos e tendências surgem”, completou.

A mudança foi anunciada nesta quarta-feira (26), mesmo dia em que o presidente Joe Biden pediu para funcionários da inteligência dos Estados Unidos para “redobrar” seus esforços para investigar as origens da Covid-19, incluindo se o vírus foi resultado de um acidente de laboratório em Wuhan, na China, ou se surgiu do encontro de um humano com um animal infectado.

Biden ainda pediu às autoridades que investigam as origens do vírus que entreguem suas descobertas em 90 dias. O presidente disse que, embora a comunidade de inteligência esteja com opiniões divididas sobre como o vírus foi exposto pela primeira vez à população, todas as agências concordam que “não acreditam que haja informações suficientes para avaliar uma [causa] como sendo mais provável do que a outra”.

Embora autoridades estadunidenses explorem possibilidade de que a pandemia tenha sido provocada por um acidente de laboratório, elas acreditam que o vírus não teria sido criado por mãos humanas. Isso torna a mudança de postura do Facebook um tanto confusa, se não totalmente irresponsável, à mudança abrupta de política para postagens que levantam essa teoria.

Assine a newsletter do Gizmodo

OMS considera “extremamente improvável” que Covid-19 tenha surgido em laboratório

Em fevereiro deste ano, uma equipe internacional de cientistas, a pedido da Organização Mundial da Saúde, divulgou as primeiras descobertas de um extenso relatório, ainda em andamento, sobre as origens do novo coronavírus. O estudo constatou que os primeiros casos conhecidos da doença, relacionados a um mercado de frutos do mar em Wuhan, em dezembro de 2019, provavelmente não foram a fonte original do surto.

Na época, os cientistas também consideraram “extremamente improvável” a possibilidade de um acidente de laboratório ter criado o vírus. A explicação mais provável era que o vírus saltou de animais, provavelmente morcegos, para humanos, por meio de um hospedeiro intermediário chamado pangolim.

Um dos locais visitados pela equipe conjunta da OMS foi o Instituto de Virologia de Wuhan, apontado como a possível fonte de um acidente de laboratório que de alguma forma liberou o coronavírus. Nenhuma evidência definitiva para esta teoria surgiu até o momento, enquanto outros estudos não encontraram nenhuma indicação de que o coronavírus foi artificialmente feito em laboratório.