A reformulação do design do aplicativo Messenger pelo Facebook prova duas coisas: 1) a rede social quer apostar no formato Stories após o sucesso do recurso no Instagram; e 2) Sim, os chatbots eram realmente horríveis.

O Facebook abandonou a guia Discover, um hub para várias ferramentas de negócios e jogos, entre outras atualizações para ajudar a otimizar o design do aplicativo de mensagens privadas. A empresa havia anunciado os planos para a mudança em agosto e agora o TechCrunch relata que o Facebook iniciou a transição esta semana, então algumas pessoas já podem ter notado a atualização.

Trata-se de uma mudança completa em relação ao desejo inicial do Facebook de tornar o aplicativo um espaço para “conectar-se com todas as pessoas e empresas que você gosta“, com recursos adicionais, como jogos, compras e chatbots confusos, para servir como intermediários automatizados entre usuários e empresas.

Agora, o Facebook reduziu para apenas duas guias, Bate-papo e Pessoas, com o último padronizando uma página para o Stories, o recurso que disponibiliza fotos e vídeos por 24 horas que o Facebook meio que roubou do Snapchat (e ainda obteve maior sucesso). Uma subguia ao lado do Stories mostra quais amigos estão online no momento.

Dado o sucesso do Facebook até agora com o recurso Stories do Instagram, que tinha uma média de 500 milhões de usuários diários até janeiro, não é de admirar que eles estejam investindo nesse recurso. E, é claro, como o Stories também exibe anúncios, mais pessoas utilizando 0 Stories significa mais receita para o Facebook.

Embora rebaixado, qualquer conteúdo anteriormente na guia “Descobrir” não desaparece definitivamente. A única coisa é que agora você precisará acessá-lo através da barra de pesquisa do Messenger. Com a mudança, os usuários precisarão procurá-los propositadamente, o que pode fazer com que as empresas fiquem ainda menos dispostas a investir na plataforma. O Facebook não respondeu imediatamente ao pedido de comentário do Gizmodo. No entanto, um porta-voz da empresa disse ao TechCrunch que o Facebook continua comprometido em promover negócios em suas plataformas e que eles ainda desempenham uma parte importante do Messenger.