Quando você compartilha algo em um grupo específico de amigos no Facebook, existe uma chance de que outras pessoas lerão. A Reuters diz que o Facebook emprega alguns funcionários terceirizados para ler todos os posts da rede, incluindo os privados, com o objetivo de treinar o software da companhia. Não tem como escolher não ter os posts lidos.

A equipe terceirizada mencionada na reportagem trabalha na Índia e tem como objetivo classificar conteúdos para ajudar o Facebook a criar novos recursos. A Reuters explica o processo em termos simples:

Os trabalhos categorizam itens de acordo com cinco “dimensões”, com o Facebook os chama. Estes incluem o assunto do post — é comida, por exemplo, ou uma selfie ou um animal? Qual é a ocasião — um atividade rotineira ou um grande evento da vida? E qual é a intenção do autor — planejar um evento, inspirar ou fazer uma piada?

O trabalho tem como objetivo entender como os tipos de coisas que os usuários postam estão mudando, diz o Facebook.

Então, diga aos seus cinco amigos mais próximos que você comeu bolo em um casamento e que pretende se casar: os funcionários terceirizados anotarão isso e enviarão a informação para o Facebook. Segundo a reportagem, a equipe observa “uma amostra randômica de status de texto, links compartilhados, posts de evento, uploads de Stories, vídeos e fotos, incluindo capturas de tela de chats nos vários apps de mensagem do Facebook. Os posts do Instagram também são analisados.

Esta notícia provavelmente não deve levar a você ativar o modo paranoico de privacidade, já que uma equipe do tipo só deve conseguir analizar um número limitado de posts. A Reuters diz que o grupo de análise tem cerca de 260 pessoas que revisam cerca de 700 posts por dia. Ainda assim, a maioria das pessoas pode achar esquisito que um indiano possa estar conseguindo ver mensagens privadas do Instagram ou lendo chats do Messenger. A agência de notícias não especifica como ou mesmo se os posts analisados são anonimizados.

“Nós deixamos claros em nossa política de dados que nós usamos informações que as pessoas fornecem para o Facebook para melhorar a experiência delas e que podemos trabalhar com provedores de serviço para ajudar neste processo”, disse um porta-voz do Facebook à Reuters.

A prática de usar pessoas aleatórias do outro lado do globo para ler suas comunicações privadas está se tornando comum. Há algumas semanas, soubemos que a Amazon empregou uma equipe de milhares de pessoas para ler transcrições de gravações da Alexa para melhorar a assistente de voz e desenvolver novos recursos para a companhia. Google e Apple também trabalham com equipes de humanos para revisar gravações de seus assistentes de voz.

Como especialistas disseram ao Gizmodo em abril, a revisão humana é uma parte importante do treinamento de software de inteligência artificial e, sem ela, produtos como a Alexa simplesmente não funcionariam tão bem. Até que ponto os usuários sabem sobre essa etapa no processo de desenvolvimento e entendem como usar produtos como a Alexa ou o Facebook como um todo depende da empresa que está desenvolvendo o software.

“É uma parte essencial do que é necessário”, disse Nipun Mathur, diretor de gerenciamento de produto de inteligência artificial do Facebook, à Reuters sobre os esforços de análise de conteúdo. “Não vejo que isso acabará tão cedo.”

Ainda assim, a ideia de que posts privados do Facebook ou Instagram possam ser lidos por estranhos chegará como uma surpresa para um monte de usuários. Defensores da privacidade podem pontuar este fato como evidência de que os Estados Unidos precisam de legislação federal mais forte no campo da privacidade, talvez ter algo que lembre o GDPR, a lei de privacidade da União Europeia. Sem regulação forte, alguns dizem, as companhias poderiam continuar a coletar dados de usuário e até compartilhar com terceiros. Por meio do escândalo da Cambridge Analytica, soubemos que o Facebook tem um histórico de fazer isso. O Facebook também está considerando levar uma multa de bilhões de dólares a ser aplicada pela FTC (Comissão Federal de Comércio) por violações de privacidade.

Então, cuidado com o que você postar. Este sempre foi o caso do Facebook e da internet, de modo geral. Mas “post privado” provavelmente significa algo diferente para você do que para o Facebook acha. Afinal, o Facebook está permitindo que terceiros aleatórios leiam suas postagens particulares, o que não soa muito particular.

[Reuters]