Por muito tempo, pareceu que o Facebook era intocável. Essa ilusão evaporou depois do escândalo da Cambridge Analytica, e, agora, o Facebook é oficialmente alvo de uma investigação da FTC (Comissão Federal de Comércio dos EUA). Já estava na hora, né?

• Facebook guarda registro de ligações e mensagens de texto no Android
• Tim Cook, CEO da Apple, pede regulamentação do Facebook depois de escândalo
• Elon Musk deleta páginas de SpaceX e Tesla no Facebook

A investigação da FTC está especificamente observando as práticas de gestão de dados do Facebook. Esse é um alvo sensível, já que, na semana passada, foi revelado que as informações de perfis de mais de 50 milhões de americanos foram desviadas usando ferramentas aprovadas pelo Facebook e então usadas nas eleições pela Cambridge Analytica, empresa de consultoria política que teria sido lançada em parte por Steve Bannon e contratada pela campanha presidencial de Trump. A FTC não ofereceu comentários sobre a investigação, mas acaba de confirmá-la publicamente.

“A FTC leva muito a sério reportagens recentes na imprensa levantando preocupações substanciais sobre as práticas de privacidade do Facebook”, disse a agência em um comunicado. “Hoje, a FTC está confirmando que abriu uma investigação privada sobre essas práticas.”

As ações do Facebook despencaram em mais de 5% após o anúncio da FTC. Esse foi apenas a mais recente queda de uma ação que agora está 20% mais baixa do que sua alta que durou 52 semanas, uma situação que apagou dezenas de bilhões de dólares do valor de mercado da companhia.

Realisticamente falando, as ações do Facebook devem se recuperar, porém, à espera de mais intervenções governamentais, não é inimaginável que o Facebook possa sair desse desastre como uma empresa completamente diferente. Uma empresa que é regulamentada e não mais livre para explorar sua posição como uma das maiores companhias de internet do mundo que rastreia seus usuários sem consequência alguma.

A propósito, Mark Zuckerberg enfim sente muito pelo que aconteceu.

[CNBC]