Se você postou um projeto no GitHub antes de 2 de fevereiro, os frutos do seu trabalho agora provavelmente estão guardados por um milênio em uma arca congelada. Na quinta-feira (16), o maior repositório de código-fonte do mundo anunciou que, em 8 de julho, consagrou seu arquivo abaixo de centenas de metros de permafrost em um cofre do Ártico.

Ele foi posto dentro de uma câmara em uma mina abandonada dentro de uma montanha no arquipélago norueguês de Svalbard, habitado por alguns milhares de pessoas e ursos polares. Em outras palavras, a salvo das forças de especuladores imobiliários e influenciadores no futuro próximo.

O GitHub diz ter feito uma captura de todos os repositórios públicos ativos e de inativos “significativos” tirada em 2 de fevereiro de 2020. Ela foi impressa em 186 bobinas de 1.066 metros de filmes digitais de arquivo. Espera-se que eles durem 1.000 anos — eles até parecem um pouco sagrados. O GitHub também planeja, em algum momento, gravar a laser todos os repositórios ativos em pratos de vidro de quartzo, que devem durar mais de 10.000 anos.

Se isso soa familiar, provavelmente é porque o GitHub fez parceria com a Long Now Foundation, famosa por projetos de preservação eterna, como o relógio de 10.000 anos, ainda em construção, projetado para funcionar por 10.000 anos dentro de uma montanha (de propriedade de Jeff Bezos, após um investimento de US$ 42 milhões).

O GitHub, um arquivo e uma colmeia para projetos de código aberto, contém projetos para reconstruir e expandir um cenário digital.

Um alienígena com equipamentos tecnológicos poderia teoricamente aperfeiçoar suas habilidades de programação humana por meio do softwares de boot camp hospedado no GitHub e usar os dados do site para criar um modelo de aprendizado de máquina para treinar um robô a escrever no estilo de Shakespeare e talvez até transformar o resultado em uma animação.

Ele poderia estudar nossas linguagens de programação, nossos sistemas operacionais arcanos, nossos frameworks de desenvolvimento de aplicativos e nossas bibliotecas de criptografia. Se tiverem o tempo e a vontade, eles podem descrever suas descobertas em um blog WordPress.

Se os alienígenas nunca chegarem, isso ainda pode ser útil para especuladores de moeda digital, que ficarão tranquilos sabendo que o código do bitcoin está a salvo de quase qualquer catástrofe imaginável.

Os alienígenas precisariam ler as instruções. Os 21 TB de dados do repositório foram compactados em arquivos TAR e serão transformados em QR codes. Portanto, pode ser necessário consultar o manual legível por humanos do GitHub para “decodificação QR, formatos de arquivo, codificações de caracteres e outros metadados críticos”.

O pressuposto e a esperança, porém, são de que quem encontrar isso terá um computador. O GitHub também inscreveu um guia em cada rolo, como um arquivo leia-me, definindo os princípios do software. Antes de explicar o contexto dos projetos, o site adicionou um aviso sobre o universo tecnológico necessário para os projetos preservados funcionarem:

A leitura, decodificação e descompactação desses dados exigirão uma computação considerável. Em teoria, isso poderia ser feito sem computadores, mas seria muito tedioso e difícil.

Nossa expectativa é que você não precise de nossas definições de software, computador e outros termos. Imaginamos que você tenha computadores próprios, provavelmente muito mais avançados que os nossos, e possivelmente arquitetados de maneira fundamentalmente diferente. Depois de entender a visão geral e o guia abaixo, você poderá acessar facilmente todos os dados.

No entanto, é possível que você tenha computadores inferiores aos nossos, ou mesmo nenhum computador. Nesse caso, preparamos um rolo de dados não compactado, não codificado e legível por humanos, que chamamos de Árvore Tecnológica. A Árvore Tecnológica contém informações sobre nossas tecnologias fundamentais, nossos computadores e nosso software, na esperança de que, com o tempo, você possa usar esse conhecimento para recriar computadores que possam usar o software de código aberto deste arquivo.

A “Árvore Tecnológica”, que o GitHub descreve como uma “Pedra de Roseta” para computação e desenvolvimento de software, foi impressa em um rolo separado legível por humanos.

Neste ponto, uma carta pós-apocalíptica para uma raça futura não parece nada assustadora. No caso de uma catástrofe imediata, mas não apocalíptica, os projetos do GitHub também são arquivados pelo Internet Archive, pela Software Heritage Foundation e pela Bodleian Library.