Em um anúncio que pode ter pego as operadoras de TV à cabo de surpresa, a Globo revelou nesta segunda-feira (31) que passará a vender o conteúdo dos canais Globosat dentro de um pacote no Globoplay, serviço de streaming da companhia.

Batizado de Globoplay + canais ao vivo, o combo custará R$ 49,90 por mês, sendo os primeiros 30 dias gratuitos para teste, ou em 12 parcelas de R$ 42,90, se você optar pelo plano anual. O lançamento para o público está marcado para o dia 1° de outubro, mas quem é assinante do Globoplay poderá aderir ao novo pacote já a partir de amanhã, 1° de setembro.

Além da TV Globo, a plataforma inclui os canais ao vivo Multishow, Globonews, Sportv 1, Sportv 2, Sportv 3, GNT, Viva, Gloob, Gloobinho, Off, Bis, Mais Globosat, Megapix, Universal TV, Studio Universal, SYFY, Canal Brasil e Futura.

Também será possível montar combos de outros produtos do Grupo Globo, como Telecine, Premiere e Combate, mas ainda não foi divulgado como funcionará essa modalidade. Já existe uma opção para assinar esses canais individualmente — R$ 37,90 no Telecine Play, R$ 79,90 no Premiere Play e R$ 59,90 para o Combate Play.

Interface Globoplay ao vivo. Crédito: Globo

Usuários poderão alternar entre vários canais da Globosat, agora no Globoplay. Imagem: Divulgação

“Nestes cinco anos de jornada do Globoplay, aprendemos muito com nossos consumidores. Aqui na Globo usamos dados a favor dos nossos assinantes, para ofertar novos produtos afinados com os interesses e gostos deles, para gerar insights sobre criação e produção de conteúdo, para melhorar a experiência em nossos ambientes digitais”, diz Erick Brêtas, diretor de Produtos e Serviços Digitais da Globo. “O lançamento do Globoplay + canais ao vivo é resultado de um grande amadurecimento tecnológico da Globo e um passo firme no caminho da empresa para se tornar uma mediatech.”

Raymundo Barros, diretor de tecnologia da Globo, afirma que a companhia tem investido na ampliação de infraestrutura de CDN. Em agosto, o grupo distribuiu 1 Exabyte de dados, que equivale a mais de 1 bilhão de horas de consumo de vídeo — quase quatro vezes maior do que o número de horas consumidas no mesmo período em 2019.

“Além disso, houve uma revisão de toda a arquitetura de software para que o aplicativo pudesse somar essa experiência de consumo dos canais. Com isso, as pessoas em casa conseguirão ter a mesma experiência que têm na TV aberta em relação à troca dos canais”, explica Barros.

Lembrando que o Globoplay tradicional continuará nos moldes atuais por R$ 22,90.