A internet da sua casa e do seu celular viaja por cabos submarinos espalhados pelo mundo. À medida que nos tornamos mais conectados, precisamos de uma infraestrutura maior. Felizmente, o Brasil vai ganhar mais um cabo submarino, e desta vez com apoio do Google.

>>> Eis o que há por dentro de um cabo de dados submarino

A empresa anunciou planos de instalar um novo cabo submarino de fibra óptica, que conectará as cidades de Santos (SP) e Fortaleza (CE) a Boca Raton, na Flórida (EUA). Ele terá 10.500 km de extensão e seis pares de fibra, transmitindo dados a até 64 terabits por segundo.

Isso é necessário para o Brasil e para a América Latina, “com a crescente utilização de redes LTE e de redes de fibra ótica, além da oferta de conteúdo de alta qualidade (HD/4K) e serviços baseados na nuvem”, diz o Google em comunicado à imprensa.

O cabo será instalado e operado pela Algar Telecom, Angola Cables, Antel e Google. A construção deve começar imediatamente, para que ele fique pronto até o final de 2016.

Este não é o primeiro cabo submarino financiado pelo Google: este ano, a empresa investiu em um novo cabo que ligará os EUA à Ásia, e transportará dados a 60 terabits por segundo.

Cabos submarinos no Brasil

mapa submarine cable map brasil

Você já deve ter visto por aqui o mapa da TeleGeography, que mostra como a internet viaja pelo mundo através dos oceanos. No Brasil, temos seis cabos submarinos em atividade, e devemos receber pelo menos outros cinco nos próximos anos:

  • o AMX-1, da América Móvil – empresa responsável pela Claro, Embratel e Net – já está pronto e deve ser inaugurado este ano, ligando o Brasil à América Central e aos EUA;
  • o Cable of the Americas vai ligar Nova York a São Paulo, passando por Fortaleza, e começou a ser construído este ano;
  • o Sistema Atlântico Sul Cabo (SACS) ligará Fortaleza a Luanda, na Angola, nos dando uma conexão direta com África e Ásia até o final de 2016;
  • a Telebras prometeu um novo cabo submarino entre Lisboa e Fortaleza, para evitar a espionagem americana – ele conta com o apoio de Portugal e deve estar pronto até 2016;
  • e teremos o cabo financiado pelo Google.

Vamos torcer que, desta vez, tubarões confusos não tentem comer os cabos submarinos do Google…

Imagens via Fop News e TeleGeography