O Google está se juntando ao Facebook na lista de empresas que investiram uma grana para pegar um pedacinho da Jio Platforms, a maior operadora de telefonia da Índia. A gigante das buscas anunciou nesta quarta-feira (15) que assinou um acordo de US$ 4,5 bilhões para ficar com o controle de 7,73% da companhia.

Em abril, o Facebook também injetou uma grana na operadora. Foram US$ 5,7 bilhões para ficar com o controle de 9,99% da empresa e se tornar a maior acionista minoritária da Jio.



O investimento do Google vai sair de um fundo de US$ 10 bilhões que a companhia anunciou especificamente para a Índia. Além do investimento monetário, o acordo prevê colaboração no desenvolvimento de smartphones Android de baixo custo.

A companhia está de olho no mercado em potencial: a Índia é o seguindo país mais populoso do mundo, ficando atrás somente da China. São 1,3 bilhão de pessoas no país e, segundo o Google, a maioria delas ainda não têm acesso à internet, nem possuem um smartphone.

“A parceria vem em um momento animador mas crítico da digitalização da Índia. Tem sido incrível ver as mudanças na tecnologia e nos planos de rede que permitiram que mais de meio bilhão de indianos se conectem à internet”, diz o comunicado.

A Jio Platforms, subsidiária da Reliance Industries, foi fundada por Mukesh Ambani, a pessoa mais rica da Ásia. Os empreendimentos de Ambani compreendem a área petrolífera, de moda, varejo e, mais recentemente, telefonia.

A empresa, fundada em 2016, permitiu que 388 milhões de pessoas se conectassem à internet nos últimos 4 anos. A empresa de telefonia passou a oferecer serviços 4G a preços baixos após comprar a única companhia que tinha as licenças do espectro LTE ao redor do país. Outro trunfo da operadora foi o JioPhone, um celular básico com KaiOS (que roda o WhatsApp) e que foi oferecido gratuitamente na compra de alguns planos 4G.

No começo de julho outras duas companhias fizeram investimentos na Jio, só que mais modestos. A Intel injetou US$ 250 milhões para ficar com 0,39% das ações da operadora, enquanto a Qualcomm colocou US$ 97 milhões por 0,15%. O foco de ambas as empresas está na computação na nuvem e no desenvolvimento do 5G.

A revista Fortune aponta que é provável que a Jio esteja preparando seu IPO – uma abertura de capital na bolsa de valores.