Quando Google e Samsung anunciaram uma parceria para construir um novo Wear OS 3, a maior dúvida era se os smartwatches existentes poderiam ser atualizados para a plataforma. E agora já sabemos como isso será feito: nesta quinta-feira (22), o Google listou quais dispositivos serão elegíveis com o novo software. O que posso dizer é que, se você tem um relógio Android mais antigo rodando o chip Snapdragon Wear 3100, é melhor começar a procurar outras opções.

As informações foram publicadas em um fórum do Wear OS e já podem ser encontradas na página de suporte do Google. Samsung, Mobvoi Fossil já afirmaram que seus próximos relógios rodarão a nova plataforma, mas que dispositivos qualificados mais antigos só receberão o update a partir de meados do segundo semestre 2022.

Estes serão os relógios compatíveis com Wear OS:

  • Mobvoi GPS
  • Mobvoi LTE TicWatch Pro 3
  • Mobvoi TicWatch E3
  • Próximos lançamentos da Mobvoi, Samsung, e Fossil

Além disso, o Google confirmou que a atualização para Wear OS 3 vai exigir que os donos de smartwatches qualificados redefinam os dispositivos para as configurações de fábrica. Mais detalhes serão divulgados antes do update ser liberado oficialmente.

Wear OS não será descontinuado (por enquanto)

Mesmo com a chegada do novo sistema, o Google enfatizou que a versão atual do Wear OS não vai a lugar nenhum, pois prevê que muitos proprietários de smartwatches Wear OS podem não estar qualificados para atualizar seus aparelhos imediatamente. O Google disse ainda que está comprometido em trazer “novas experiências de aplicativos” para o Wear OS, apontando para as atualizações recentes da Play Store e do Gboard. E mais importante: o Wear OS receberá updates de segurança por no mínimo mais dois anos.

Assine a newsletter do Gizmodo

“A experiência do usuário é uma prioridade para nós e estamos entusiasmados com o interesse que recebemos no Wear OS 3, a nova plataforma unificada. Para a geração anterior de smartwatches Wear OS, uma atualização de sistema para Wear OS 3 trará o benefício de muitas das novas experiências e, em alguns casos limitados, a experiência do usuário será afetada”, escreveu o Google.