Um estudo publicado no Journal of Industrial Ecology indica que os homens produzem 16% mais gases do efeito estufa do que as mulheres. A pesquisa foi realizada pela empresa Ecoloop e avaliou o consumo e despesas de pessoas de ambos gêrneros na Suécia de 2012. A análise levou em consideração a adesão de bens como imóveis, alimentos, combustível para automóveis e utensílios domésticos. 

A diferença pode ser explicada, segundo o relatório, porque enquanto os homens gastam 70% dinheiro com os chamados ‘itens intensivos em gases do efeito estufa’, como carne, combustível e etc, as mulheres gastam com produtos de baixa emissão, como itens de saúde, roupas e móveis. À CNN, a principal autora do estudo, Annika Carlsson-Kanyama, disse que quantidade de gastos é muito parecida, homens gastam apenas 2% a mais do que as mulheres, mas ainda assim, ela observa que ‘eles devem aprender com os hábitos das mulheres que produzem menos emissões de carbono’.

Outro comparativo, por exemplo, é no que diz respeito às férias ou transporte, os homens emitem seis vezes mais gases que as mulheres porque utilizam, normalmente, seus carros. Enquanto elas optam por viagens de trens. 

No estudo, os pesquisadores disseram que os resultados mostram que as emissões totais de gases de efeito estufa podem ser reduzidas em 36-38% mudando os gastos com esses produtos e serviços para alternativas menos intensivas em carbono, sem alterar o gasto total. 

As mudanças climáticas têm impacto em todos os ecossistemas, inclusive para os humanos. À medida que as emissões de gases nocivos à atmosfera aumentam, o mundo inteiro sofre. Há vários projetos em curso para a redução desses impactos, até 2030, como uso de tecnologia renovável, remoção de dióxido de carbono e até mesmo comportamento do consumidor. Ou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, que empenha o mundo inteiro para diminuir os impactos no meio ambiente.

Assine a newsletter do Gizmodo

Os cientistas apontam quais seriam essas mudanças de comportamento que podem diminuir esse impacto. Carlsson-Kanyama, disse à reportagem que os governos podem mudar as políticas de transporte, por exemplo, encorajando homens a deixarem os carros de lado e utilizarem trens.

[Futurism]