No ano em que a Huawei voltou ao Brasil com seus smartphones, rolou todo o problema com a administração Trump, complicando a implementação de serviços do Google em celulares da gigante chinesa. Mesmo assim, a empresa deve continuar com seus planos para o mercado local. Prova disso foi o anúncio nesta quinta-feira (5) do lançamento de sua loja de apps Huawei App Gallery e o seu assistente, Huawei Assistente.

Antes de dar mais detalhes sobre a iniciativa, vale retomar um pouco o que aconteceu com a empresa e a situação com os Estados Unidos.

A administração Trump, mesmo sem apresentar provas, acredita que a Huawei serve ao governo chinês e, por isso, proibiu que empresas norte-americanas negociassem com a companhia chinesa. De bate pronto, o principal problema é que a Huawei usa o Android e vários serviços do Google.

Então, nessa situação, a Huawei pode usar o Android (pois é de código aberto), mas não pode ter apps do Google, como a Google Play Store e outras soluções da companhia norte-americana. Logo, o que a Huawei apresentou em evento nesta quinta-feira foi sua loja de aplicativos própria, a Huawei App Gallery, e o Huawei Assistente para atender quem comprar novos aparelhos da empresa.

Huawei AssistenteHuawei Assistente dá sugestões de ações para os usuários

Vale aqui uma outra observação para falar de brasileiros que compraram um dos aparelhos disponíveis (P30 Pro, P30 ou P30 Lite) localmente. Eles vieram de fábrica com apps do Google e vão receber normalmente atualizações do sistema Android, então eles funcionam sob o GMS (Google Mobile Service), como vários outros telefones disponíveis no Brasil.

Começando com Mate 30 Pro, o último smartphone da Huawei lançado após essa “briga” com os EUA (sem previsão para lançamento no Brasil), a marca implementou um sistema Android, mas funciona sob o que é chamado de HMS (Huawei Mobile Service), aí entram as plataformas anunciadas pela Huawei.

Huawei App Gallery e Huawei Assistente

O xaveco da empresa para tentar atrair desenvolvedores é mais ou menos o seguinte: a Huawei é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo e eles têm mais de 530 milhões de usuários, sendo 370 milhões ativos, em mais de 170 países.

Por estar iniciando a área no Brasil, a empresa também falou bastante durante a apresentação sobre o suporte local, que pode auxiliar os desenvolvedores de apps até em melhores estratégias e como publicar.

Como a plataforma da Huawei é baseada em Android, não tem muito segredo para quem já tem aplicativos na plataforma do Google. De modo geral, é preciso subir o arquivo APK para apps já existentes ou usar os kits de desenvolvimento para apps novos, além de passar por um processo de aprovação na loja deles que dura até três dias. É possível ainda monetizar os games com compra dentro de aplicativo (tudo já em moeda local) e ainda inserir ad networks para apps que dependem de propaganda.

Cronograma do processo para submissão de app em loja da HuaweiO cronograma para integrar apps ao Huawei Mobile Service

Sobre o Huawei Assistente, pense em uma espécie de Google Assistente. Ao arrastar para o lado a tela inicial do telefone, o sistema entende o contexto e vai exibindo cards ou ícones de apps. Se você tem uma viagem e tem algum app gerenciador de tíquetes, ele mostrará detalhes.

O Huawei Ability Gallery, que reúne capacidades para desenvolvedores para o assistente, permite ainda a criação de apps que usem a identificação de objetos baseados na câmera e que usem comandos de voz.

Daniel Di as, gerente de GTM da Huawei Brasil, durante evento que fala sobre o Huawei AssistenteDaniel Dias, gerente de GTM da Huawei Brasil, falando sobre o Huawei Ability Gallery

Segundo a companhia, tem mais de 340 milhões de usuários do Huawei Assistente, e isso pode representar uma boa oportunidade de integração de serviços.

Apesar do anúncio, a loja de apps estará nos aparelhos que a empresa lançou no Brasil neste ano. Já o Huawei Assistente, não. Ele só estará presente em aparelhos HMS, portanto sem aplicativos do Google.

Se a Huawei anunciou uma loja, então teremos novos smartphones da marca no Brasil?

Pelo menos entre os jornalistas, esta foi a grande questão durante o evento em que a Huawei falou da loja de apps e do assistente. Como os anúncios tinham relação direta em criar um ecossistema de desenvolvedores, a companhia chinesa não deu muitos detalhes.

No entanto, dada a situação, é possível inferir algumas coisas:

  • A Huawei está comprometida com o Brasil e quer que desenvolvedores brasileiros participem do seu ecossistema seja localmente ou em algum dos países em que a marca atua.
  • A estreia da loja e do assistente pode servir de fundação para a venda de smartphones da Huawei sem apps do Google, o que pode indicar possíveis aparelhos no mercado brasileiro.

Por ora, não há previsão para o Mate 30 chegar ao Brasil. Porém, se nada mudar, pode ser que a empresa traga o P40 ao Brasil com um ecossistema baseado em seus serviços.

Se você é desenvolvedor e quer saber mais detalhes sobre a loja de apps da Huawei, basta acessar a página deles (em inglês) para mais informações.