Com bastante frequência, nossos corpos podem parecer casulos de ansiedade e pavor existencial. Mas coragem! Uma nova pesquisa confirma o que popularizadores da ciência como Carl Sagan disseram esse tempo todo: os humanos realmente são feitos de poeira estelar — e temos mapas para provar isso.

• Nós erramos a idade da Lua por muito tempo
• Nosso Sol pode ter roubado o Planeta 9 de fora do Sistema Solar

Na maior empreitada do tipo, um grupo de astrônomos da Sloan Digital Sky Survey, no estado do Novo México, usou o espectógrafo APOGEE (Apache Point Observatory Galactic Evolution Experiment) para analisar a composição de 150 mil estrelas na Via Láctea. A equipe catalogou a quantidade de elementos “CHNOPS” (carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fósforo e exofre) em cada um dos astros e mapeou a presença desses “blocos fundamentais da vida” na galáxia.

(Dana Berry/SkyWorks Digital Inc.; SDSS collaboration)

(Dana Berry/SkyWorks Digital Inc.; SDSS collaboration)

Os pesquisadores descobriram que o centro da Via Láctea era o espaço com maior abundância de elementos CHNOPS. Mas talvez o aspecto que mais valide a pesquisa seja que esses elementos essenciais — encontrados espalhados por várias estrelas — também compõem 97% da massa de nossos corpos. Em outras palavras, nós somos mesmo “filhos” das estrelas.

Além de nos ajudar a entender mais sobre nós mesmos, esse novo mapa pode nos direcionar a mais descobertas sobre a vida além da Terra, no passado e no presente. “É uma história de grande interesse para a humanidade que tenhamos conseguido mapear a abundância de todos os principais elementos encontrados no corpo humano em centenas de milhares de estrelas da nossa Via Láctea”, afirmou Jennifer Johnson, da Ohio State University, em um comunicado à imprensa. “Isso nos permite delimitar quando e onde em nossa galáxia a vida teve os elementos necessários para evoluir, uma espécie de ‘zona temporal habitável galática’.”

Dê uma olhada nos mapas da equipe no site da SDSS clicando aqui. E pode se sentir orgulhoso. Afinal de contas, você é realmente filho de uma estrela.

[Sloan Digital Sky Survey (SDSS)]

Imagem do topo:  NASA/CXC/SAO/JPL-Caltech