O primeiro ministro da Malásia Najib Razak confirmou o que muitos desconfiavam: investigadores concordam que o flaperon descoberto na Ilha da Reunião pertence ao misterioso voo MH370 que desapareceu em março de 2014.

O pedaço de uma asa de um jato que foi parar em uma ilha remota na costa de Madagascar foi enviado para Toulouse, na França, durante o fim de semana para ser analisado. A grande questão a ser respondida é se ele fazia parte de um Boeing 777, já que até hoje apenas um Boeing 777 foi perdido no mar – e exatamente o MH370. Autoridades da Malásia falaram no domingo que era bem provável que a peça fosse de um 777, mas eles não anunciaram como fizeram a conexão com o MH370. Especialistas suspeitavam que o número serial da peça revelaria a origem dela.

Muitas questões ainda precisam ser respondidas com relação a onde e por que o avião caiu, mas um artigo do New York Times mostra como as correntes do oceano podem ser carregado detritos da aeronave para até quase 5.000 km de distância de onde estavam ocorrendo as buscas pelo avião.

O primeiro ministro da Malásia deu a seguinte declaração, de acordo com o USA Today:

“É com o coração pesado que preciso dizer a vocês que uma equipe de especialistas internacionais confirmou conclusivamente que os detritos encontrados na Ilha da Reunião são de fato do voo 370. Agora temos evidências físicas… de que o voo 370 acabou tragicamente no Oceano Índico.”