A Blue Origin entrou com uma ação no Tribunal de Reclamações Federais dos Estados Unidos sobre a decisão da NASA de conceder um contrato milionário de aterrissagem lunar para a SpaceX. A mudança está causando espanto, dadas as observações anteriores de Jeff Bezos sobre como esses processos impedem o progresso no espaço.

A empresa espacial privada, de propriedade de Jeff Bezos, abriu seu processo em uma “tentativa de remediar as falhas no processo de aquisição encontradas no Sistema de Aterrissagem Humana da NASA”, como um porta-voz da Blue Origin explicou em um e-mail.

A NASA tinha originalmente a intenção de conceder dois contratos para o módulo lunar Artemis, mas cortes no congresso americano, que seriam direcionados para o orçamento da agência em 2021, impossibilitaram a ideia; A NASA recebeu apenas 850 milhões de dólares dos 3,3 bilhões que pediu. 

Em abril, a agência espacial americana concedeu um único contrato de 2,89 bilhões de dólares para a SpaceX. A Blue Origin, junto com seus parceiros Lockheed Martin, Northrop Grumman e Draper, estavam pedindo um contrato de 5,99 bilhões de dólares.

A Blue Origin, junto com a Dynetics, entrou com protestos no Government Accountability Office (GAO), alegando que o processo de licitação era injusto e que a NASA era obrigada a conceder vários contratos. O GAO discordou, e disse que a “avaliação da agência espacial de todas as três propostas foi razoável e consistente com a lei de aquisição aplicável, regulamento e os termos do anúncio”, conforme articulado em seu relatório de 30 de julho.

Sem querer admitir a derrota, Bezos escreveu uma carta aberta para Bill Nelson da NASA em julho, dizendo que renunciaria a todos os pagamentos de até 2 bilhões de dólares em troca de um contrato estendido do primeiro lander comercial (HLS). A empresa também lançou uma guerra de infográficos, detalhando o que considera como deficiências na solução da SpaceX.

Elon Musk respondeu na mesma moeda. No início deste mês, o CEO da SpaceX tweetou uma foto nada carismática mostrando um mock-up esvaziado do módulo lunar Blue Origin.

E agora a Blue Origin está levando a NASA a um tribunal federal. A empresa argumenta que “os problemas identificados nesta aquisição e seus resultados devem ser tratados para restaurar a justiça, criar concorrência e garantir um retorno seguro à Lua para a América”, de acordo com o porta-voz da Blue Origin.

Não foram fornecidos maiores detalhes sobre o processo. A ação foi aberta na sexta-feira, 13 de agosto e a Blue Origin recebeu uma ordem para “proteger informações confidenciais, proprietárias e de seleção de fontes” em 16 de agosto, conforme relata a SpaceNews. 

A NASA disse que está ciente do processo e está “atualmente revisando os detalhes do caso”, como a agência explicou em um comunicado.

A crueldade, o cinismo e a hipocrisia de Bezos, ou como queira chamar, estão expliícitas aqui. Como aponta a Space Policy Online, Bezos já havia falado sobre esse assunto – empresas processando a NASA por contratos perdidos – e como isso impede o progresso. Aqui está o que Bezos disse em 2019 ao falar ao JFK Space Summit:

À medida em que os grandes programas da NASA passam a ser vistos como oportunidades de empregos, eles têm que ser distribuídos aos estados certos, onde vivem os senadores certos, e assim por diante. Seja qual for; levar um homem ou uma mulher à lua, enquanto preserva um número X de empregos em tal distrito. Isso é complexo e não é saudável.

Hoje, por exemplo, havia três protestos em pauta e os perdedores iriam processar o governo federal porque não venceram. É intrigante, mas o que desacelera as coisas são as compras. O que eu sei, é que é frustrante para todas as pessoas bem-intencionadas da NASA.

Um frustrado Jeff Bezos, ao que parece, está deliberadamente trabalhando para frustrar as “pessoas bem-intencionadas da NASA” e desacelerar as coisas. E, de fato, é provável que esse processo, como o protesto do GAO, que suspendeu temporariamente o projeto HLS, resulte mais uma vez em atrasos. 

Assine a newsletter do Gizmodo

A chegada dos americanos à Lua em 2024 parece cada vez mais distante a cada dia que passa. Para complicar ainda mais as coisas, a NASA provavelmente não terá seu traje espacial de próxima geração pronto até 2025, e seu próximo foguete Space Launch System ainda não foi lançado.

Todo esse alarde da Blue Origin é um pouco desconcertante, visto que um segundo contrato para uma sonda lunar é quase inevitável. A NASA deixou claro que deseja múltiplas plataformas de pouso e que isso é fundamental para seus objetivos de longo prazo na Lua.

A empresa de Elon Musk recentemente empilhou seu foguete Starship no topo de um Super Heavy, criando – embora temporariamente – o foguete mais alto já construído. Musk disse que um voo de teste orbital deste gigante pode acontecer em algumas semanas, dependendo da aprovação regulatória.