Você se lembra do jogo EndeavorRX? Falamos sobre ele em 2016 e, mais recentemente, no ano passado quando a Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador dos EUA, aprovou o game como tratamento para crianças com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH).

Agora, uma equipe de pesquisadores está testando se o jogo pode ajudar um público ainda maior: pessoas que tiveram Covid-19 e sofrem com sequelas relacionadas à memória, atenção e outros problemas de cognição.

O estudo, conduzido por Faith Gunning, neuropsicóloga da Weill Cornell Medicine, em Nova York, vai dividir os participantes em dois grupos — apenas um deles vai jogar o EndeavorRX. Os pesquisadores vão analisar se os sintomas do grupo que jogou o game apresentaram alguma melhora em comparação com aqueles que não jogaram.

Em entrevista ao The Verge, Gunning conta que vem realizando estudos com o jogo há algum tempo. Segundo ela, um benefício importante do EndeavorRX é que ele é capaz de melhorar a habilidade de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Isso já foi observado tanto em crianças com TDAH como em pessoas mais velhas e até mesmo indivíduos com esclerose múltipla, diz ela.

Outra vantagem ressaltada pela pesquisadora, principalmente quando se trata de crianças, é que é um jogo. Ou seja, é muito mais divertido e envolvente do que outros tratamentos e exercícios mais tradicionais, como mostra o vídeo abaixo:

Porém, não são apenas os jovens que podem se beneficiar do jogo. Gunning vem testando o mesmo método com adultos que apresentam problemas cognitivos e depressão. O que ela observou foi uma melhor conectividade entre as redes neurais relacionadas à atenção e funções executivas, além de uma melhora no humor.

Por fim, uma das vantagens é que um jogo seria facilmente escalável. Segundo declaração de Gunning ao The Verge, não haverá força de trabalho suficiente para um atendimento individual de todas as pessoas que ficaram doentes. Por isso, o jogo seria uma forma eficiente de auxiliar um grande número de indivíduos rapidamente.

Por outro lado, um ponto importante que havia sido levantado na época que o jogo foi aprovado pela FDA é que um dos estudos apresentados como evidência da eficácia do jogo havia sido realizado pela própria desenvolvedora do game, a Akili Interactive. Também haviam sido identificados alguns efeitos colaterais, como frustração e dor de cabeça — o que seriam sintomas leves quando comparados aos dos remédios.

Assine a newsletter do Gizmodo

Ainda assim, é mais provável que o EndeavorRX continue sendo utilizado como um tratamento complementar do que um substituto aos tratamentos atuais. Pelo menos até os estudos reunirem evidências suficientes.

[The Verge]