Enquanto seus amigos do Orkut enviam mais uma foto borrada de ontem à noite e jogam Fazenda Feliz, pessoas perversas usam a rede social do Google para "crimes e pedofilia", segundo a Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro. Então a PGE resolveu abrir ação pública contra o Google, para que a empresa tome medidas a fim de combater atividades ilícitas no Orkut.

Os dois grandes problemas, ao que parece, são o anonimato e o controle de conteúdo (ou a falta dele). Como é fácil criar perfis falsos e o Google não monitora cada comunidade criada ou assunto discutido, o potencial de crimes online é grande. O problema é que toda rede social é assim: se fosse obrigatório filtrar todo o conteúdo gerado no Twitter, Facebook, MySpace etc., elas se tornariam inviáveis. Com o YouTube seria a mesma coisa, e recentemente o site ganhou processo judicial nos EUA que contestava exatamente a capacidade do Google em controle de conteúdo.

As medidas exigidas pela Procuradoria parecem muito pesadas: entre outras, eles querem logs de atividade das comunidades; um sistema que detecte automaticamente páginas relacionadas a pedofilia ou que façam apologia ao crime; propaganda em jornal, rádio e TV sobre os perigos da internet e do Orkut; e a criação de um canal de denúncia. Crimes e pedofilia são coisa séria, mas será que o botão "Denunciar abuso" do Orkut já não é o bastante?

A ação deve ser julgada pela 10.ª Vara de Fazenda Pública do RJ, e se o Google for condenando, estará sujeito a pagar multa diária de R$100.000 e a fechar o Orkut caso não cumpra com a decisão. [IDG; imagem via Pérolas do Orkut]