Há dois anos, a LG Displays, divisão de telas da marca sul-coreana, mostrou uma TV OLED bem louca que podia ser “escondida” em sua base quando não estava sendo usada, essencialmente dando ao usuário o melhor do mundo das TVs e dos projetores. Agora, a LG informou que vai vender uma TV baseada nesta tecnologia. Trata-se da LG Signature OLED TV R que estará disponível no mercado ainda neste ano.

E embora isso seja genuinamente um truque, a OLED TV R tem todos os recursos que você poderia esperar de uma TV OLED cara de 65 polegadas. Como suporte a todos os principais formatos HDR, ampla gama de cores, resolução 4K e imagem nítida e detalhada. A LG diz que o painel OLED usado neste novo modelo é o mesmo da sua linha recente de TVs. A única diferença é que esta é retrátil.

O modelo também pode ser controlado pela Alexa e pela Siri, da Apple. A OLED TV R suporta o HomeKit, da Apple, o que significa que você poderá ligá-la usando a Siri no seu dispositivo iOS ou macOS, além disso o modelo suporta o Airplay 2 (tecnologia de transmissão da Apple) sem a necessidade de Apple TV. Então, você poderá transmitir conteúdos, por exemplo, do seu iPhone, como filmes e músicas, direto para a TV.

A base da TV conta com um alto-falante e várias portas (incluindo HDMI 2.1). No entanto, como a TV não está sempre para fora (lembre-se, ela é retrátil) — um retângulo preto pode estragar o visual da sua sala de estar — ela conta com três modos. Full View é o modo usado para ver TV. Ele faz com que toda a tela deixe a base e mostra conteúdos após uma rápida tela de carregamento.

Ela é super fina. Crédito: Mike Damanskis/Gizmodo

Quando está “guardada” na base, o modo é chamado Zero View. Os alto-falantes embutidos, um sistema 4.2 com Dolby Atmos, ainda funciona nesta configuração. Então, você consegue continuar a ouvir música — entenda que você deverá iniciar ouvir música quando a tela estiver no modo Full View.

Pelo menos, a qualidade do som é ótima. Na demonstração em que participamos, o som de Eric Clapton facilmente tomou toda a sala. Aliás, a LG aproveitou a oportunidade para mostrar seu recurso de inteligência artificial para som (AI Sound), que promete simular um sistema de som 5.1 com as configurações de alto-falante embutidas na TV. A música não parecia bem “saída” de um sistema 5.1, mas o AI Sound definitivamente cria um ambiente realista, como se você estivesse em uma sala com músicos.

O terceiro modo, chamado de Line View, é o meio termo entre os dois apresentados anteriormente. Uma parte da tela fica para fora mostrando informações de hora e temperatura, ou com acesso ao painel do WebOS, ou pode ainda exibir algumas fotos. Tem potencial para ser legal, mas ainda está no estágio inicial de desenvolvimento — a própria LG disse que a interface super simples que vimos ainda não era a final.

Os três modos da TV retrátil da LG. Crédito: LG

Esta é uma peça de hardware incrível, e a LG espera começar a vender no fim deste ano. A companhia não menciona preço, mas me disseram que seria uma boa aposta que ela fosse vendida com preço maior que dos modelos 8K anunciados na CES 2019. O modelo mais caro da LG OLED de 65 polegadas tem preço sugerido de US$ 7.000, então você pode esperar algo em torno na casa dos US$ 10 mil.

É dinheiro para caramba, mas esta aí é uma baita TV! Ela traz duas formas distintas de ver conteúdo, pega alguns dos melhore recursos de TV e projetores e une em apenas uma caixa grande. Mas eu confesso que desconfio que a tela não será tão intocada como a LG promete. Como eu vi a LG subindo e descendo a tela por diversas vezes, me lembrei de quando um amigo ficava abrindo e fechando o vidro do meu carro até que ele desabou direto na porta.

Fique atento para quando tivermos a oportunidade de fazer um review da OLED R mais tarde neste ano para ver quão durável é este mecanismo retrátil.

Siga o Gizmodo Brasil no Instagram para acompanhar curiosidades e as últimas novidades da CES 2019!

[LG]