A maçã Fuji foi, no passado, irrefutavelmente a maçã mais deliciosa que você poderia comer – qualquer um que diga o contrário está mentindo. Hoje em dia, no entanto, as maçãs Fuji não têm o mesmo sabor que costumavam ter, e talvez nunca mais alcancem a glória antiga novamente.

Ao comparar amostras de Fujis atuais com estudos similares dos anos 70, pesquisadores descobriram que a anteriormente gloriosa Fuji cresceram substancialmente mas com uma concentração menor de sabor. O provável culpado? Nossa boa e velha amiga mudança climática.

Os pesquisadores compararam as Fujis modernas com as Tsugarus com as suas antepassadas dos anos 70. Eles descobriram que a concentração de ácido málico – uma das partes mais importante do sabor da maçã – foi lentamente caindo nas últimas décadas juntamente com a firmeza das maçãs. Além disso, as maçãs de hoje são mais suscetíveis a doenças que fazem a fruta quebrar internamente assim que começa a amadurecer.

Em busca da causa da desgraça das maçãs, os pesquisadores observaram a tendência climática de longo prazo das duas áreas de cultivo de maçã no Japão, Nagano e Aomori. Nos últimos 40 anos, temperaturas nas duas regiões aumentaram cerca de 2 graus Celsius, e a elevação da temperatura é correlacionada com as maçãs florescendo cada vez mais cedo. Isso pode ser apenas uma coincidência, mas outros estudos conduzidos em câmaras controladas mostraram que temperaturas altas têm relação direta com a diminuição no sabor e textura.

Isso não é exatamente uma boa notícia para a indústria das maçãs, e é algo ainda pior para quem gosta de comida gostosa. Se temperaturas mais altas afetam uma fruta, é possível que em algum momento elas comecem a afetar outros alimentos. Como a mudança climática está cada vez mais irreversível, o que podemos fazer com isso? [Smithsonian Mag]

Imagem: Shutterstock/angelo gilardelli