Em maio do ano passado, cientistas encontraram um meteorito no deserto da Argélia. Agora, uma análise recente da composição e idade da rocha sugere que ela pode ser um pedaço de “protoplaneta” (uma matéria que constituiu a fase inicial de um planeta) mais antigo que a própria Terra.

Conhecido como “Erg Chech 002”, ou “EC 002”, o meteorito pesa 32 quilos e é uma rocha vulcânica com cristais de piroxênio, ao contrário da composição condrítica — formada a partir de poeira e pedaços de rochas — observada na maioria dos meteoritos encontrados na Terra.

O novo estudo, publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences revelou que o EC 002 é feito de material vulcânico que, por sua vez, se originou de um corpo que passou por derretimento interno para diferenciar o núcleo da crosta. Isso corresponde a um protoplaneta, que é uma das fases de transição para a formação de um planeta.

De acordo com o Meteoritical Bulletin Database, 3.179 meteoritos similares (com características vulcânicas) foram identificados na Terra, sendo que a maioria deles apresenta uma composição basáltica.

O EC 002 se destaca por não ser uma rocha basáltica, mas um andesito, de acordo com a equipe de pesquisadores da University of Western Brittany, na França. As análises radioativas de isótopos de alumínio e magnésio sugeriram que os dois minerais cristalizaram há cerca de 4,565 bilhões de anos em um corpo que se formou há 4ñ566 bilhões de anos. Isso torna o meteorito a rocha mais antiga já vista até agora.

Ao contrário do basalto, que se forma a partir do resfriamento rápido de lava rica em magnésio e ferro, o andesito é composto principalmente de silicatos ricos em sódio e, na Terra, se forma em regiões em que as bordas de uma placa tectônica são empurradas por baixo de outra.

Quando os cientistas compararam a maneira como o EC 002 interage com a luz, eles não encontraram nada parecido no Sistema Solar que pudesse corresponder ao meteorito. Esses tipos de rochas são raros, mas os processos de formação que as originaram eram comuns.

Assine a newsletter do Gizmodo

Uma das explicações de não encontrarmos muitas evidências de protoplanetas é que a maioria deles foi pulverizada ou acabou sendo incorporada em outros corpos rochosos maiores. Considerando que o EC 002 é mais velho que a Terra, é possível que suas rochas irmãs tenham ajudado a formar o nosso planeta.

Ainda há muito a ser estudado sobre esse tipo de meteorito, e a descoberta recente do EC 002 representa um passo importante para entendermos a origem do próprio Sistema Solar.

[Science Alert]