Durante a keynote da Build (conferência anual da Microsoft para desenvolvedores), Satya Nadella, CEO da Microsoft, mostrou sua visão de como deve ser o futuro da companhia, e inteligência artificial é um grande protagonista neste vislumbre.

>>> As novidades da próxima grande atualização do Windows 10
>>> A Microsoft quer adivinhar o que você está sentindo a partir de uma foto

Nadella amplamente se referiu aos planos de inteligência artificial da companhia como “conversação como plataforma”. A joia da coroa é uma nova ferramenta chamada Microsoft Bot Framework, que permitirá a desenvolvedores integrarem diferentes bots de conversa inteligente aos seus apps. A companhia criou meia dúzia de ferramentas para ajudar os desenvolvedores a criarem bots, que — se tudo ocorrer como planejado — mudarão a forma como nós interagimos com sites e apps.

“Isto é sobre tirar o poder da linguagem humana e aplicar de forma pervasiva em nossos computadores”, disse Nadella durante o evento. “Nós achamos que isso pode ter um impacto tão grande quanto a interface gráfica de usuário no desktop ou a interface sensível ao toque em dispositivos móveis.’

conversa-como-plataforma

Na visão da Microsoft, o futuro da computação tem três braços: pessoas, assistentes digitais e bots. Se esta visão ocorrer como esperada, bots de inteligência artificial se tornarão nossa forma primária de interagir com apps em todos os dispositivos.

“Você não deveria prestar atenção em novas aplicações. Você deveria poder abrir qualquer app como um bot, mesmo dentro de uma janela de conversa”, disse Nadella.

No futuro, segundo a Microsoft, nós vamos começar a ver a intersecção da tecnologia com humanos de novas formas: “Pessoas se relacionando com pessoas, pessoas com bots, pessoas com assistentes digitais, e mesmo assistentes digitais com bots.”

A keynote exibiu alguns exemplos de ferramentas para incorporação de conversas em aplicativos, como o Skype Bot SDK e a Cortana Intelligence Suite. Na demonstração do Skype, a assistente pessoal Cortana ajudou a fazer a conexão entre um usuário e um aplicativo. Idealmente, o bot vai encorajar a conversação — mas de uma forma diferente da qual a maioria de nós estamos acostumados. As conversas vão incluir reconhecimento de voz, imagens, animações e mais.

Na keynote foi demonstrada a seguinte conversa com um bot da Dominos Pizza: “Você pode entregar três pizzas grandes de pepperoni em minha casa?”. Como o sistema entenderá o contexto, não será necessário dar muitos detalhes sobre o pedido ou até mesmo se referir a eventos passados. “Você pode me mandar uma pizza igual a aquela que pedi na semana passada?”.

A Microsoft já testou parte de seus planos futuros no mundo real e não funcionou exatamente como planejado — a Tay, bot de inteligência com linguagem adolescente, se transformou em um papagaio racista de trolls da internet. A companhia parece ter ciência de que eles têm muito o que fazer. “Nós rapidamente percebemos que ainda não estava pronta”, disse ele sobre a Tay, “e por isso a colocamos de volta na prancheta.”

Apesar das recentes mancadas, a Microsoft está depositando a ideia de “conversas como uma plataforma” nas mentes e corações de consumidores e desenvolvedores. O framework já existe, e os desenvolvedores podem começar a fazer ajustes e colocar seus bots em seus próprios apps.