No fim de janeiro de 2020, parece que o app da Cortana, a assistente da Microsoft, para iOS e Android vai ser desativado em alguns mercados. Pelo menos o saudoso Clippy agora tem uma companhia no cemitério de apps descontinuados da Microsoft.

A informação tornou-se pública por meio de um artigo de suporte que a Microsoft postou em vários mercados regionais esta semana, embora um porta-voz tenha esclarecido posteriormente ao Gizmodo que apenas usuários nas seguintes áreas deverão dar adeus ao app da assistente de voz: Reino Unido, Austrália, Alemanha, México, China, Espanha, Canadá e Índia.



Apesar de abandonar o aplicativo nessas regiões, a própria Cortana continua sendo “parte integrante” do modelo de negócios da empresa para incorporar “computação e produtividade computacional” em seus produtos, de acordo com um porta-voz da Microsoft. Então, parece, que a Microsoft não está fechando o caixão completamente da Cortana.

Atualmente, a versão brasileira e a norte-americana do site não contam com tal mensagem, então o app da Cortana continuará funcionando para usuários Android e iOS após a data de encerramento listada, no caso 31 de janeiro.

“Para tornar seu assistente digital pessoal o mais útil possível, estamos integrando a Cortana aos seus aplicativos de produtividade do Microsoft 365”, diz a nota da Microsoft. “Como parte desta evolução, em 31 de janeiro de 2020, encerramos o suporte ao aplicativo Cortana no Android e iOS em seu mercado”.

Após esta data, todos os lembretes ou listas que os usuários tiverem no aplicativo Cortana podem ser acessados pelo aplicativo Tarefas, da Microsoft, que é sincronizado automaticamente.

A decisão não surpreende, já que a Microsoft está gradualmente revertendo seu foco na Cortana como assistente de voz independente. Em janeiro, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, disse que a empresa não considera mais a Cortana uma concorrente da Alexa, da Amazon, ou o Google Assistente, apesar de uma tentativa maciça de mudar a marca do assistente de voz em 2018.

Além disso, no ano passado, houve a saída do chefe da Cortana, Javier Soltero, que integrou o assistente de voz do departamento de pesquisa e inteligência artificial da empresa à sua equipe de experiências e dispositivos para desenvolver um papel de assistente digital.

O que tornou esta mudança possível foi justamente a colaboração da empresa com outra gigante da tecnologia: a Amazon. A Microsoft passou a disponibilizar a assistente Alexa em seus produtos no início do ano passado (e vice-versa), além de adicionar suas localizações de lojas e varejistas em produtos como o Echo e o Echo Dot.

A assistente de voz tem tido uma redução em seu papel no ecossistema geral da Microsoft. No início deste ano, a empresa anunciou que desativaria a ajuda da Cortana por padrão durante certas instalações do Windows 10. Mais tarde, a retiraram da barra de pesquisa.