A decisão da Apple de suspender seu programa que permitia que funcionários ouvissem gravações da Siri acabou abrindo caminho não apenas para uma retomada das discussões sobre como assistentes virtuais podem violar nossa privacidade, mas também para as empresas finalmente começarem a olhar, de fato, para essa questão. Seguindo os passos da concorrente, o Google também anunciou que as gravações do Google Assistente não serão mais ouvidas por humanos. A Amazon não quis ficar para trás e também disse que permitiria que os usuários optassem por não ter suas gravações ouvidas por terceiros.

Com os assistentes virtuais no centro das discussões sobre privacidade, parecia que a única a gigante de tecnologia a sair ilesa das polêmicas de julho tinha sido a Microsoft. Mas não por muito tempo, é claro. Na quinta-feira (7), o Motherboard relatou ter obtido documentos, capturas de tela e áudios que provam que humanos ouvem ligações do Skype que utilizam o recurso de tradução da plataforma.

O material foi enviado ao site de notícias por um funcionário terceirizado da Microsoft, afirmando que “o fato de eu conseguir compartilhar esse material com vocês mostra como as coisas são lenientes em termos de proteção dos dados de usuários”.

Segundo o Motherboard, os áudios de Skype vazados incluem conversas íntimas sobre assuntos pessoais, como perda de peso e até mesmo problemas no relacionamento. Os áudios são curtos, com duração entre cinco e dez segundos, mas a fonte que forneceu o material afirma que outras gravações podem ser mais longas.

Outros arquivos obtidos pelo site indicam que os funcionários terceirizados também ouvem comandos de voz dados à Cortana. A resposta da Microsoft sobre a questão é similar àquelas já fornecidas por outras empresas: as gravações são revisadas por humanos com o objetivo de aprimorar o serviço oferecido por máquinas. No caso do Skype, por exemplo, os funcionários terceirizados ouvem os usuários e selecionam a melhor opção dentre uma lista de possíveis traduções ou, em alguns casos, fornecem a sua própria.

Segundo a Microsoft, tanto o FAQ do Skype como documentos da Cortana informam claramente que a empresa utiliza dados de voz para aprimorar seus serviços. No entanto, conforme aponta o Motherboard, em nenhum momento o usuário é informado de que esses dados de voz serão ouvidos por humanos.

A fonte que forneceu o material vazado afirma ter estranhado o fato de informações tão sensíveis não serem manipuladas de forma mais controlada. “Eu ouvi pessoas fornecendo endereços completos em comandos de voz direcionados à Cortana ou pedindo para a Cortana fornecer resultados de busca de pornografia”.

Representantes da Microsoft afirmaram ao Motherboard que as gravações são disponibilizadas por meio de um portal online seguro e que a empresa toma medidas para remover qualquer informação que possa ser utilizada para identificar um usuário. Mas isso não impede que as pessoas forneçam dados, conforme mostra o depoimento da fonte, e não há indícios de que a empresa adota qualquer procedimento para impedir que terceirizados ouçam esse tipo de informação.

Um dos fatores mais preocupantes é que, aparentemente, parte desse trabalho de revisão de áudios é feito por pessoas aleatórias que trabalham de casa. O Motherboard afirma ter encontrado ofertas de emprego da Microsoft na internet para terceirizados trabalharem de casa.

“Eu geralmente sinto que, embora não tenhamos acesso a informações que possam identificar o usuário, se eles soubessem que pessoas aleatórias, sentadas em casa, de pijama, poderiam estar fazendo brincadeiras online com amigos sobre as coisas que acabaram de ouvir, eles não iriam gostar disso”, disse a fonte ao Motherboard.

De acordo com o Lifehacker, aparentemente não é possível utilizar o Skype Translator sem que a empresa colete seus dados de voz, conforme indicado no próprio FAQ da plataforma e considerando que humanos são necessários para treinar o sistema a aprimorar as traduções. No entanto, é possível desabilitar essa opção na Cortana seguindo esses passos:

  1. Acesse as configurações no Windows 10.
  2. Clique em Privacidade.
  3. Clique em Fala.
  4. Desabilite o recurso Reconhecimento de fala online.

No entanto, é importante ressaltar que, ao fazer isso, você não poderá mais interagir com a Cortana por voz, apesar de ainda poder usar a assistente virtual para acessar informações.

Outra dica do Lifehacker é revisar o armazenamento de dados de voz. Para isso, é necessário acessar a página da Conta Microsoft, clicar na aba Privacidade, depois em Atividade de Voz e Exibir e Limpar Atividade de Voz. Ao clicar em Limpar atividade, todo o conteúdo armazenado será apagado.

Apesar dessa dica, o site pontua que isso não garante que os funcionários terceirizados ouçam o que você diz à Cortana. Afinal, não sabemos quanto tempo você tem para apagar suas gravações antes de a Microsoft utilizá-las e nem se esse seria o único arquivo disponível ou se a empresa cria cópias das gravações, tornando-as anônimas.

Infelizmente, utilizar algumas tecnologias ainda significa abrir mão da sua privacidade. Por isso, a única forma garantida de suas conversas íntimas não serem ouvidas por estranhos é abdicar dos assistentes de voz. Pelo menos até as empresas estruturarem melhor esses programas que utilizam revisores humanos e passem a oferecer aos usuários a opção de autorizar ou não que suas gravações sejam processadas por outra pessoa, conforme aponta o Lifehacker.

[Motherboard, Lifehacker]