Os corajosos homens e mulheres vivendo em base marciana (de mentirinha), em Utah, Estados Unidos, encontraram um desfecho bem real. Depois de uma estufa pegar fogo, e as labaredas atingirem mais de três metros de altura, os bravos astronautas tiveram de ir para suas casas.

>>> O que aprendi sobre o tédio após quatro meses em Marte

O incidente ocorreu na Estação de Pesquisa do Deserto Marciano, onde pesquisadores da Mars Society — organização sem fins lucrativos dedicada à exploração e colonização de Marte — usam trajes espaciais, comem rações e tomam banho a cada três dias se preparando para a fronteira final. Mas as coisas fugiram de controle quando o único aparelho fornecedor (de mentira) de comida fresca irrompeu em (bem verdadeiras) chamas, aparentemente devido a um aquecedor mal posicionado, de acordo com o Space.com:

O comandante Nick Orenstein, um experiente explorador que já construiu diversas fogueiras no passado, acreditou que grupo pudesse conter o fogo, pois a fumaça era carregada para fora da habitação e só uma prateleira dentro da estufa estava se incendiando. Naquele momento, o fogo era relativamente pequeno, do tamanho de três cadeiras estofadas.

Porém, Orestein se enganou, o grupo não conseguiu conter as chamas e elas saíram do controle. A parte central da estufa foi destruída, o que colocou um fim na simulação marciana. O que é até ok, quando se considera que eles estavam em Utah, e não a milhares de quilômetros de distância, cercados de rochas vermelhas e sem oxigênio. A reconstrução da estufa pode custar até 40 mil dólares e, apesar de novos designs ainda não terem sido criados, nós temos uma sugestão aos “astronautas”: não usem madeira. [Space.com]

Imagem de Nick Orenstein