Velocidades wireless mais rápidas estão a caminho, mas obter um bom sinal em escritórios e residências ainda é um problema. Para ajudar a resolver esse problema, os pesquisadores do Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial (CSAIL) do MIT desenvolveram um tipo de “superfície inteligente” que, segundo eles, pode aumentar a força do sinal em 1.000%.

O problema, segundo os pesquisadores, é que velocidades mais rápidas de internet não se tornarão realidade, a menos que haja uma maneira mais eficiente de fornecer sinais sem fio. Embora a maioria das empresas esteja enfrentando esse problema adicionando mais antenas a transmissores ou receptores, reduzir seu tamanho tem sido um problema à medida que a tecnologia evolui. É especialmente problemático em grandes espaços como armazéns, que podem conter centenas de sensores para acompanhar o estoque e as máquinas. Escalar a conectividade para esses tipos de ambientes usando os métodos atuais é incrivelmente caro e consome muita energia.

É aí que entra esta parede verde, semelhante a algas. A ideia da CSAIL era, em vez de adicionar transmissores e receptores, os sinais sem fio podem ser amplificados adicionando as antenas às superfícies externas – como uma parede. Apelidada de RFocus, a “superfície inteligente” contém mais de 3.000 antenas, custa centavos e supostamente pode melhorar a força do sinal por “um fator de quase 10”. A superfície bidimensional pode transmitir sinais ou refleti-los com base em como o software que controla está programado.

“O objetivo principal aqui era explorar se podemos usar elementos no ambiente e organizá-los para direcionar o sinal de uma maneira que possamos realmente controlar”, diz Hari Balakrishnan, professor do MIT que também é autor sênior de um novo artigo sobre o RFocus, em um comunicado.

O MIT não é o primeiro a refletir sobre a ideia de usar ambientes externos para aumentar a velocidade da internet. A Universidade de Princeton publicou uma ideia semelhante em 2018, mas o MIT diz que sua abordagem é muito mais focada em reduzir custos e aplicá-la a mais casos de uso.

De qualquer forma, seria bem legal – e parece rentável. Mas, esperamos que, se isso chegar ao mercado, eles descubram um esquema de cores menos perceptível.