A Motorola está de volta ao segmento de topo de linha do mercado de smartphones. A empresa apresentou nesta quarta-feira (22) o Edge e o Edge+, seus primeiros aparelhos em muito tempo com especificações técnicas de ponta, como tela com alta taxa de atualização, câmeras triplas com sensores de muitos megapixels e baterias grandes.

Os dois aparelhos têm a mesma cara, com tela curva invadindo as bordas laterais (daí o nome Edge, como os antigos Samsung de topo de linha) e a câmera frontal em um buraquinho no canto superior esquerdo do display. A tela também abriga um leitor de impressões digitais.

As curvas na tela servem para mostrar notificações durante o carregamento. O espaço também pode ser usado para colocar botões virtuais em games — pense no L e R de um joystick. Se você preferir, também dá para desativar o espaço e forçar o sistema a usar só a parte central.

Borda quebra um galho como botões L e R em games. Imagem: Motorola

A diferença de tamanho entre o Edge e o Edge+ é pequena — o que mudam mesmo são os componentes, mais básicos no primeiro e mais avançados no segundo.

Motorola Edge

Vamos começar pelo modelo mais simples, o Edge “padrão”. O processador não é da linha mais avançada da Qualcomm e sim um Snapdragon 765G, que deve entregar potência suficiente e recursos especiais para games. Ele também vem com bom espaço de armazenamento (128 GB) e uma quantidade generosa de RAM (6 GB).

A tela do Edge tem 6,7 polegadas, resolução Full HD+, proporção alongada 19,5:9 e, acompanhando as tendências da indústria, taxa de atualização mais alta, de 90 Hz.

O conjunto de câmeras traseiras tem um sensor principal de 64 megapixels (que deve combinar quatro pontos em um para criar imagens de 16 megapixels), acompanhado de uma lente ultrawide com sensor de 16 megapixels e uma teleobjetiva com sensor de 8 megapixels e zoom ótico de 3x. Há também um módulo ToF. A frontal, para selfies, tem 25 megapixels.

A bateria tem capacidade para 4.500 mAh e carregamento rápido (mas não tanto) de 15 W.

Motorola Edge+

O modelo mais avançado, o Edge+, também tem tela de 6,7 polegadas, com a mesma resolução Full HD+ e a mesma taxa de atualização de 90 Hz. Como extra, ela conta com HDR10+.

Moto Edge+
Moto Edge+

As vantagens desse modelo estão na potência mesmo. O processador é um topo de linha, Snapdragon 865, e ele vem acompanhado de 12 GB de RAM. No armazenamento, bastante espaço: 256 GB.

A câmera tem um sensor principal é mais avançado: 108 megapixels, que devem ser combinados para criar imagens de 27 megapixels. As outras duas câmeras traseiras, o módulo ToF e a frontal têm especificações idênticas às do Edge normal.

A bateria tem uma capacidade um pouco maior, 5.000 mAh. Ela também vem com carregador mais potente, de 18 W, e suporte a carregamento sem fio de 15 W. Também tem carregamento reverso: você pode encostar outros aparelhos compatíveis com esse padrão e recarregá-los usando a bateria do Edge+, o que pode ser bem útil para quem tem fones Bluetooth, smartwatches e outros acessórios desse tipo.

Preço e disponibilidade

O Edge e o Edge+ serão disponibilizados no mercado brasileiro, porém ainda não há detalhes sobre o preço e data. Nos EUA, o Edge+ custa US$ 1.000 e é exclusivo da Verizon. Na Europa, o Edge+ custa 1.200 euros, e o Edge, 600 euros.