A NASA anunciou no fim de semana que vai atrasar o lançamento da missão SpaceX Crew-1 para a ISS (Estação Espacial Internacional) até o meio de novembro por causa de problemas com o foguete Falcon 9 da empresa de voo espacial. O lançamento estava originalmente agendado para 31 de outubro no Kennedy Space Center, da NASA, na Flórida (EUA).

Em um comunicado publicado no sábado (10), a agência disse que houve um “comportamento fora do normal” nos motores geradores de gás de estágio inicial durante uma tentativa recente de lançamento não relacionada com a NASA. A NASA disse que o tempo adicional permitiria que a SpaceX completasse testes de equipamento e revisão de análises.

A agência destacou o fato de ter uma visão completa dos dados de lançamento e teste da SpaceX como parte de sua parceria de Programas de Tripulação Comercial e Serviços de Lançamento, um detalhe importante, considerando que o problema ocorreu durante um lançamento não relacionado à NASA.

Kathy Lueders, administradora associada da Diretoria de Exploração Humana e Missão de Operações da NASA, disse que a parceria ajudou a agência a tomar decisões informadas sobre suas missões.

“Temos uma forte relação de trabalho com nosso parceiro SpaceX”, disse Lueders. “Com a frequência de missões que a SpaceX executa, isso realmente nos dá uma visão incrível deste sistema comercial e nos ajuda a tomar decisões informadas sobre o status de nossas missões. As equipes estão trabalhando ativamente nessa descoberta nos motores e devemos estar melhor informados na próxima semana”.

A SpaceX realizou a primeira viagem privada de astronauta à órbita no início deste ano, quando levou os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley para a ISS e retornando-os de volta à Terra.

A missão Crew-1 não é a única missão da NASA que a SpaceX tem no horizonte com o foguete Falcon 9. A empresa de voos espaciais também deve lançar o satélite de monitoramento ocêanico Sentinel-6 Michael Freilich da NASA em 10 de novembro, bem como a SpaceX CRS-21, uma missão de reabastecimento de carga, a ser realizada no final de novembro ou início de dezembro.

“A NASA e a SpaceX usarão os dados dos testes e análises de equipamentos para garantir que essas missões críticas sejam realizadas com o mais alto nível de segurança”, disse a agência em seu comunicado.

A missão Crew-1 levará os astronautas da NASA Michael Hopkins, Victor Glover e Shannon Walker, bem como o astronauta da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão Soichi Noguchi, para a ISS. Os astronautas viajarão para lá na cápsula Crew Dragon, da SpaceX, que eles chamam de Resilience em homenagem à dedicação das equipes que trabalham na missão.

A Crew Dragon permanecerá ancorada na ISS durante toda a estadia dos astronautas na ISS, que a NASA afirma que durará aproximadamente seis meses. Assim que a missão for concluída, o Crew Dragon vai se desencaixar da estação espacial com os quatro astronautas a bordo e voltar para a Terra.