Essas novas imagens de Marte, tiradas pelo sonda Mars Reconnaissance Orbiter, mostram o planeta todo coberto por uma tempestade de areia que começou no fim de maio. E embora orbitadores estejam estudando a tempestade para entendê-la melhor, ela pode causar danos consideráveis na superfície às sondas que circulam pelo planeta vermelho.

Os humanos a caminho de Marte podem enfrentar um grande risco de câncer
Simulação de viagem a Marte libera confinados depois de oito meses



Tempestades como essa ocorrem a cada seis a oito anos da Terra, segundo um comunicado da NASA. A mais recente começou pequena, primeiro observada em 30 de maio, o que forçou a sonda Opportunity entrar no modo hibernação em junho. Em 20 de junho, a tempestade tomou conta de todo o planeta.

“É empolgante, pois essa é uma das tempestades de areia mais fortes que já vimos em marte”, disse Tanya Harrison, diretora da iniciativa NewSpace da Universidade do Estado da Arizona, ao Gizmodo. “É preocupante a situação para a Opportunity, pois a sonda não está obtendo luz solar o suficiente para manter suas baterias carregadas, mas os modelos termais nos dizem que a temperatura está em nosso favor.”

A Opportunity vai continuar adormecida até que a tempestade se acalme, o que deve acontecer provavelmente em setembro, quando os cientistas vão tentar acordá-la novamente. A maior preocupação é se o dispositivo movido à luz solar pode sobreviver ao frio sem força para se manter quente, embora a camada grossa de areia possa absorver o calor e prevenir que a Opportunity se sinta ainda pior por causa do frio. Harrison disse que os cientistas estão otimistas.

Enquanto isso, outros experimentos estão trabalhando para entender a tempestade — o orbitador Mars Odyssey, que faz parte da missão da NASA de explorar Marte, está monitorando a temperatura e composição do planeta para ter melhor compreensão sobre o que está ocorrendo por lá. O Mars Reconnaissance Orbiter tira fotos coloridas da atmosfera e medidas de temperatura, embora o seu orbitador MAVEN estude como as tempestades afetam o topo da atmosfera de Marte acima da areia. Eles querem saber como pequenas tempestades se transformam em fenômenos que tomam conta de todo o planeta.

E a mais de 8.000 km de distância da Opportunity, a sonda Curiosity está em menos perigo. Como usa energia nuclear, ela não precisa hibernar. Ela está tentando medir as propriedades de partículas de areia, embora continue perfurando rochas. No entanto, a areia pode também danificar as câmeras da sonda. Os cientistas estão animados com o estudo da tempestade para aprender mais sobre nosso vizinho vermelho. “A tempestade nos dá uma chance de entender melhor como elas crescem de fenômenos regionais para algo que cerca todo o planeta, e quais os tipos de efeitos que ela tem em padrões de albedo [como o planeta reflete a luz solar] da superfície.”

[NASA]

Imagem do topo: A imagem de maio consegue exibir o relevo de Marte, enquanto a da direita mostra uma camada uniforme de areia que cobre todo o planeta. Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS